undefined
Reprodução/Mirror
Em um vídeo capturado pelas câmeras de segurança do lava rápido, o dono da BMW é visto socando dois homens


Um homem russo, cuja identidade não foi divulgada, foi preso após matar um funcionário de um lava rápido na cidade de Stupino, nas proximidades da capital Moscou. Segundo informações do portal Mirror , o homem ficou furioso porque sua BMW “demorou demais para ser lavada” e resolveu dar um soco em cada um dos funcioná rios presentes no local. Um deles não resistiu.

Leia também: Pai passa ferro quente nos genitais do filho para puni-lo por ter sido abusado

As câmeras de segurança do local gravaram toda a ação: por volta das três e meia da manhã, o dono da BMW foi visto em uma discussão com outros dois homens, funcionários do lava rápido, que foram agredidos. Um deles, um imigrante de 39 anos, caiu no chão e bateu a cabeça. Assista ao vídeo:

Desacordado e com sérias lesões cerebrais, a vítima foi levada até o hospital mais próximo e recebeu atendimento médico, mas não resistiu. De acordo com a polícia local, o segundo homem agredido, apesar de também ter ficado ferido, não corre risco de morte.

O responsável pelos socos foi preso e confessou o crime. Em um vídeo divulgado pelas autoridades russas, ele explicou que já foi preso anteriormente – por arrombamento e roubo – antes de assumir a responsabilidade pela morte. “O que você acabou de fazer?”, o policial perguntou, “eu bati em um homem”, respondeu. “E o que aconteceu com ele?”, devolve o oficial, ao que o agressor responde: “ morreu ”.

Se condenado, ele pode ficar até oito anos na prisão por morte causada por sérias lesões cerebrais.

Morto por causa de cigarro

Em outro caso, também na Rússia, Eduard Assylov, de 37 anos, foi morto a facadas, decapitado e ainda teve seu pênis e membros cortados . De acordo com o portal Metro , o corpo do homem, que era fumante, foi encontrado em seu apartamento, e seu colega de quarto confessou o crime por “não gostar de cigarro”.

As autoridades começaram a investigação com a hipótese de um ataque por um “rival romântico”. Porém, tudo mudou quando o colega de quarto do homem, cujo nome não foi divulgado, confessou o crime .

Leia também: Em véspera dos Jogos de Inverno, Coreia do Norte tem desfile militar com mísseis

Natural da cidade de Irkutsk, na Sibéria, o homem de 45 anos dividia um quarto com Assylov na capital russa. Ele explicou que os dois sempre discutiam sobre cigarros, já que a vítima era fumante e o responsável pelo crime não gostava do hábito. Agora, assim como o dono da BMW, o responsável pelo crime está preso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários