Tamanho do texto

País teve evento em celebração aos 70 anos do Exército nesta quinta-feira, e discurso de líder norte-coreano surpreende autoridades internacionais

Líder da Coreia do Norte assiste ao desfile militar “de camarote”, cercado de autoridades de seu governo, nesta quinta
Reprodução/Twitter Josh Berlinger
Líder da Coreia do Norte assiste ao desfile militar “de camarote”, cercado de autoridades de seu governo, nesta quinta

Tropas, mísseis e tanques foram exibidos a uma multidão que assistia ao desfile militar na Praça Kim II Sung, em Pyongyang, na manhã desta quinta-feira (8), véspera da abertura dos Jogos de Inverno 2018 , que acontecerão na Coreia do Sul. O evento superantecipado e o discurso do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un , surpreenderam autoridades internacionais, já que o país realiza uma aproximação ao governo vizinho desde janeiro. As informações são da CNN .

Leia também: Irmã de ditador norte-coreano chega para abertura dos Jogos de Inverno

O desfile militar contou com a marcha sincronizada de centenas de soldados, aviões que sobrevoaram a praça central, além do desfile, em caminhões, de quatro novos e sofisticados mísseis Hwasong-15. Enquanto isso, o líder da Coreia do Norte assistia a tudo “de camarote”, cercado de autoridades de seu governo. Além disso, Kim Jong-un apareceu ao lado da esposa Ri Soul-ju, quando chegaram ao local em uma limusine e passaram diante da multidão em um tapete vermelho.

Vestindo preto e um chapéu, o líder norte-coreano realizou um discurso no palanque, atacando “o imperialismo, que precisa ser abortado”. Kim também afirmou, de forma incisiva, que o país é “uma potência militar de classe mundial”, o que foi recebido com surpresa e apreensão por autoridades internacionais, especialmente sul-coreanas, uma vez que o governo do norte tem se aproximado do sul desde o início deste ano.

“Enquanto o imperialismo estiver presente na Terra, e a política hostil dos EUA contra a Coreia do Norte continuar, a missão do exército do povo norte-coreano continuará a ser uma forte espada protetora do país e das pessoas, e a paz nunca poderá mudar", defendeu.

“A vitória reside no nosso partido e nas pessoas que estão segurando as armas da revolução", acrescentou Kim.

Leia também: Coreia do Norte descreveu novas sanções da ONU como 'ato de guerra'

O evento de hoje foi uma comemoração antecipada dos 70 anos do exército norte-coreano, que seria no dia 25 de abril. Porém, o governo já havia adiantado que a celebração aconteceria no dia 8 de fevereiro. Além disso, também foi avisado de que o míssil Hwasong-15 ICBM seria apresentado para a multidão. Mas, um funcionário do Ministério da Defesa da Coreia do Sul disse à CNN que, em relação ao ano passado, o conteúdo e a escala do desfile "parecem ter sido reduzidos".

‘Soco no estômago da diplomacia’

A decisão de Pyongyang de realizar o desfile militar nesta quinta-feira, véspera da abertura dos Jogos de Inverno, é vista por muitos especialistas como um “soco no estômago da administração sul-coreana, do presidente Moon Jae-in”, que deu abertura ao país vizinho nessas Olimpíadas como símbolo de cooperação pacífica.

Leia também: Coreia do Norte disputará quatro modalidades nas Olimpíadas de Inverno

A mídia internacional não foi convidada para participar da parada, mas a agência oficial do governo apresentou imagens depois de finalizado o evento. Contudo, não se sabe se vídeos e fotos foram editadas – o que já ocorreu anteriormente na Coreia do Norte.