Tamanho do texto

Outras 260 pessoas ficaram feridas; caminhão estava tentando atravessar os trilhos e acabou colidindo com a locomotiva que vinha em alta velocidade

África do Sul: motorista do caminhão tentou fugir depois do acidente, mas foi preso pela polícia e escoltado para o hospital
Reprodução/ YouTube/ CGTN
África do Sul: motorista do caminhão tentou fugir depois do acidente, mas foi preso pela polícia e escoltado para o hospital

Ao menos 14 pessoas morreram e outras 260 ficaram feridas em um acidente entre um trem e um caminhão na África do Sul nesta quinta-feira (4). O caminhão estava tentando atravessar os trilhos e não viu que o trem estava vindo.Com o impacto, parte da composição pegou fogo. Um outro carro também foi atingido com o descarrilamento do trem. Segundo informações da mídia local, o trem fazia o trajeto entre Port Elizabeth e Joanesburgo.

Leia também: Trem descarrila sobre rodovia e deixa pelo menos três mortos nos EUA, diz jornal

Segundo o porta-voz do departamento provincial de saúde Mondli Mvambim, o número de mortos no acidente na África do Sul pode subir. "Três vagões queimados ainda não foram levantados para verificar se alguém está preso dentro. Isso pode levar 36 horas. Os socorristas estão trabalhando o mais rápido possível."

O ministro dos Transportes do país, Joe Maswanganyi, disse que o motorista do caminhão foi levado para um hospital. "Vamos fazer um exame de sangue para verificar se ele estava sóbrio ou não", disse Maswanganyi. Apesar de lesionado, o motorista do caminhão tentou fugir depois do acidente, mas foi preso pela polícia e escoltado para o hospital.

Um dos vagões descarrilados era o gerador de energia - o carro atrás da locomotiva que alimenta o resto do trem. Esta parte do trem pegou fogo e as chamas se espalharam rapidamente.

Leia também: Trem colide com barreira e deixa mais de 40 feridos na Espanha

Viagem em família

A engenheira de telecomunicações Tiaan Esterhuizen, de 32 anos, estava viajando com 13 integrantes da família, quando ocorreu o acidente . Ao jornal americano The New York Times , ela disse que era a primeira vez que viajava de trem, depois que um colega morreu em um acidente de carro durante a temporada de férias no ano passado. "Nós pensamos que seria a rota mais segura", disse ela.

Pouco depois das 9 da manhã, ao terminar o café da manhã no carro de jantar, Tiaan disse que "ouviu uma grande explosão, seguido de um segundo, então ouviu e sentiu que o trem descarrilava". Ela disse que publicou um pedido de ajuda por meio do Twitter e se juntou a um grupo que tentava fazer o resgate das vítimas.

Leia também: Número de mortos em acidente de ônibus no Peru sobe para 48

Tiaan disse que depois de retirar sua família, correu para frente do trem, onde contou pelo menos 12 vagões descarrilados. Vários já estavam queimando, emitindo nuvens de fumaça negra. Três mulheres, presas dentro de um dos carros, estavam chorando por ajuda e a engenheira de telecomunicações atravessou os destroços para alcançá-las. Segundo Tiaan, alguém quebrou as janelas com um extintor de incêndio, mas as mulheres estavam esmagadas pelos assentos e não podiam ser libertadas. De acordo com o ministro de Transportes da África do Sul, a polícia está investigando as causas do acidente.

* Com informações da Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.