Tamanho do texto

Ivanice Carvalho da Costa, de 35 anos, foi atingida no pescoço após policiais confundirem seu carro com o usado por uma quadrilha que roubou caixa eletrônico; polícia diz "lamentar" o ocorrido e que vai investigar operação

Carro em que Ivanice Carvalho da Costa e o namorado estavam foi atingido por ao menos 20 disparos
Reprodução/Arquivo pessoal
Carro em que Ivanice Carvalho da Costa e o namorado estavam foi atingido por ao menos 20 disparos

Uma brasileira de 35 anos de idade foi morta por engano pela polícia na região metropolitana de Lisboa (Portugal) na madrugada de quarta-feira (15). Ivanice Carvalho da Costa foi atingida no pescoço por uma das dezenas de disparos efetuados pelos policiais portugueses, que confundiram o carro no qual a brasileira estava com o usado por uma quadrilha que havia explodido um caixa eletrônico naquela madrugada.

Leia também: Em nova propaganda partidária, PMDB ataca 'trama' e 'perseguição' contra Temer

Segundo informou o Diário de Notícias , um dos principais jornais de Portugal , o carro onde Ivanice estava no banco de carona ao lado do namorado (que também é brasileiro) foi atingido por ao menos 20 tiros durante a desastrosa ação na cidade de Almada, ao sul de Lisboa.

A Polícia de Segurança Pública portuguesa informou por meio de nota que acionou o serviço de atendimento emergencial "de imediato" para socorrer a brasileira, e que " lamenta a morte da cidadã envolvida na ocorrência".

A corporação relatou que, pouco depois das 3h da madrugada daquele dia, foi emitido um chamado pelo rádio para as viaturas disponíveis em Setúbal, Lisboa e regiões adjacentes tentarem interceptar o veículo usado por uma quadrilha que havia explodido e furtado um caixa eletrônico na região de Pragal, em Almada.

Leia também: Militares do Zimbábue afastam Robert Mugabe da presidência após 37 anos no poder

Perseguição e morte

Um carro "suspeito e com as características correspondentes ao usado no furto" foi visto numa importante via de Lisboa e, ainda de acordo com a polícia, o condutor do veículo teria iniciado fuga tão logo percebeu a preseça policial, "circulando em diversas vias a alta velocidade e na contramão e colocando em perigo todas as pessoas que ali se encontravam".

Ali, de fato, tratava-se do veículo utilizado no roubo ao caixa eletrônico. Os criminosos teriam, inclusive, disparado contra os policiais nas imediações do aeroporto de Lisboa. 

Só que mais à frente, já às 3h35 daquela madrugada, o motorista de outro carro "que aparentava corresponder às características do veículo suspeito" teria desobedecido ordem de parada em uma rua transversal àquela do início da perseguição. Era o carro de Ivanice e do namorado – que não teve a identidade divulgada.

"Esta viatura [carro], durante a fuga, tentou atropelar os polícias, que tiveram de afastar-se rapidamente para não serem atingidos e, em ato contínuo, os policiais foram obrigados a recorrer a armas de fogo. Mais à frente, a viatura voltou a desobedecer à ordem de paragem por outra equipe de policiais, tendo sido intercetada pouco tempo depois", disse a corporação na nota.

"Constatou-se, minutos depois, que na viatura seguiam um homem e uma mulher, encontrando-se a mulher ferida por impacto de projétil de arma de fogo", continuou o texto.

Ivanice teve o pescoço perfurado por uma bala e não resistiu ao ferimento. Já seu namorado e condutor do carro foi detido por dirigir sem carteira de habilitação, por desobediência ao sinal de paragem e por condução perigosa.

De acordo com a polícia de Portugal, foi determinada a abertura de um processo para investigar e esclarecer as circunstâncias da morte da brasileira.

Leia também: Refugiados africanos são leiloados e vendidos como escravos por menos de US$ 200

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.