Tamanho do texto

Novo ciclone segue para as ilhas e ao estado de Porto Rico nesta semana; primeiro impacto em terra deve ser sentido na noite desta segunda-feira (18)

O furacão Maria lançava ventos de 200 quilômetros por hora, já próximo do Caribe e apontando para Porto Rico
Reprodução/Twitter Weather Meteo World
O furacão Maria lançava ventos de 200 quilômetros por hora, já próximo do Caribe e apontando para Porto Rico

O furacão Maria chegou à categoria 4 na tarde desta segunda-feira (18), o que significa que dobrou sua força enquanto se dirige para as ilhas caribenhas, já destruídas pela passagem recente do Irma. As informações são da rede de TV CNN

Leia também: Furacão Irma chega ao extremo sul dos EUA e deixa ao menos quatro mortos

Na tarde de hoje, o furacão Maria lançava ventos de 200 quilômetros por hora, já próximo do Caribe e apontando para Porto Rico. Com esses números, é possível dizer que o ciclone dobrou sua velocidade nas últimas 24 horas, sendo esperado que isso continue acontecendo até que alcance a terra (nas ilhas de Sotavento, aonde deve chegar ainda esta noite).

Maria se transformou em furacão no domingo, quando se dirigia para o leste do Caribe com ventos de até 150 km/h. Assim, o Centro Nacional de Furacões (NHC) enviou alerta para Guadalupe, Dominica, São Cristóvão e Névis,  Montserrat e Martinica. Além disso, Porto Rico se prepara para ser diretamente atingido por um furacão de categoria 4 em mais de 85 anos. O governo porto-riquenho emitiu estado de emergência, aguardando o ciclone para a quarta-feira (20).

O que esperar do Maria

Muitas das ilhas que serão atingidas estão sob alerta de furacão para os próximos dias. As tempestades devem chegar com força, alcançando mais de 300 mm de chuva em algumas áreas. “São esperadas quantidades de chuva de 150 a 300 milímetros, com quantidades máximas isoladas de 600 mm em Porto Rico”, anunciou o NHC. “As chuvas em todas essas ilhas podem causar inundações repentinas e deslizamentos de terra que ameaçam a vida", concluiu.

Com números assim, o governo de Porto Rico já ordenou evacuações em todo o estado.  “Nossa mensagem é de que as pessoas evacuem as áreas que são propensas a sofrerem inundações e deslizamentos, além de estruturas vulneráveis”, afirmou o governador porto-riquenho, Ricardo Rosselló.

Leia também: Por causa do furacão Irma, mulher dá à luz com ajuda por telefone em Miami

“Agora é hora de buscar refúgio com membros da família, amigos ou se mudar para algum abrigo público porque os socorristas não vão sair e arriscar suas vidas, uma vez que os ventos chegam a 80 km/h”, enfatizou.

Ainda segundo Rosselló, por causa do tamanho do furacão Maria, todo o estado de Porto Rico deverá sentir os efeitos do fenômeno. “Se Maria chegar às olhas como dizem as previsões, será muito mais perigoso do que Hugo e Georges”, diz, em referência a dois furacões devastadores. O Hugo matou cinco pessoas em 1989, enquanto o Georges causou mais de US$ 1,7 bilhão em danos para a ilha, em 1998.

Leia também: Após devastar o Caribe, furacão Irma se aproxima dos Estados Unidos

Outro furacão, Jose, também está no Atlântico , gerando um aviso de tempestade tropical para parte da costa leste dos EUA. Enquanto os meteorologistas não preveem que atinja os Estados Unidos, ainda é esperado que cause ondas perigosas ao longo do litoral nos próximos dias, alertou o centro de furacões norte-americano.