Tamanho do texto

Um helicóptero militar roubado atacou o prédio da Suprema Corte, em Caracas, nesta terça. Grupo divulgou vídeo em que afirma querer renúncia do presidente e retomar, assim, a democracia deste "governo criminoso"

Grupo atacou o prédio da Suprema Corte da Venezuela com granadas e tiros nesta terça-feira (28)
Reprodução/Twitter
Grupo atacou o prédio da Suprema Corte da Venezuela com granadas e tiros nesta terça-feira (28)

Um helicóptero militar, supostamente roubado, atacou com tiros e granadas o prédio da Suprema Corte da Venezuela, em Caracas, na tarde desta terça-feira (27). O presidente Nicolás Maduro respondeu ao ataque, afirmando que esta foi “mais uma operação terrorista e golpista”, conclamando seus apoiadores a “estarem prontos para pegar em armas se a ‘Revolução Bolivariana’ for ameaçada”.

Leia também: Grupo de hackers Anonymous publica vídeo defendendo a teoria da "Terra plana"

A aeronave foi aparentemente roubada, sendo pilotada por Óscar Perez, um agente investigativo da Polícia Nacional da Venezuela . Segundo informações da “CNN” e do “El Nacional”, além de tiros, foram disparadas duas granadas contra o prédio – e uma delas teria caído na avenida, mas não deixou feridos.

Perez é oficial Corpo de Investigações Científicas, Penais de Criminalísticas (CICPC). Antes do ataque, ele teria gravado um vídeo, divulgado nas redes sociais, pedindo para que Maduro renunciasse. Na mensagem, em que aparece acompanhado de outros homens armados e uniformizados, Perez afirma que “seu combate não é contra as forças de segurança do Estado, mas contra a impunidade imposta por este governo. É contra a tirania”.

Nos vídeos publicados nas redes sociais na manhã desta terça, o oficial anunciou que uma operação para retomar a democracia das mãos do “governo criminoso” estava a caminho. Segundo ele, foi criada uma coalização de militares e civis contrários ao governo.

Leia também: Girl Power: mulher dá risada após se safar de tiro do Estado Islâmico; assista

Durante o ataque ao prédio da Suprema Corte, fotógrafos flagraram imagens em que mostram que o helicóptero tinha as iniciais da unidade investigativa da polícia (onde Perez trabalha), além de uma faixa com os dizeres “350 Libertad” (ou 350 Liberdade, em tradução literal). A mensagem faz referência ao artigo na constituição venezuelana que permite que cidadãos se oponham ao governo, legislação ou autoridade que contrarie os valores democráticos e menospreze os direitos humanos.

Sem respostas

Não ficou claro como um helicóptero militar  circulou em torno dos edifícios de extrema importância de Caracas
Reprodução
Não ficou claro como um helicóptero militar circulou em torno dos edifícios de extrema importância de Caracas

Ainda não ficou claro nesta quarta-feira (28) quanto apoio o grupo possui entre oficiais da polícia e serviços de segurança que eles alegam representar. Sobre o vídeo, a agência de notícias Reuters afirmou que Perez, o aparente líder, esteve envolvido em um filme de ação de 2015, chamado “Suspended Death”, o qual co-produziu e atuou como um agente de inteligência resgatando um homem de negócios sequestrado.

Leia também: Casa Branca ameaça Assad após detectar possibilidade de novo ataque com gás

Também não ficou claro como um helicóptero militar poderia ter circulado em torno dos edifícios de extrema importância na capital da Venezuela sem ser derrubado pelas forças de segurança. Testemunhas e jornalistas locais dizem que o ataque durou cerca de duas horas. Nenhum dos envolvidos na “invasão” ao prédio parece ter sido rastreado e o paradeiro da aeronave permanece desconhecido.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.