Tamanho do texto

Em entrevista a revista norte-americana, o príncipe britânico de 32 anos falou sobre a vida, a morte da mãe e o futuro da monarquia no Reino Unido

Plano visava beneficiar príncipe Harry, que também é ruivo
Glyn Lowe/Creative Commons
Plano visava beneficiar príncipe Harry, que também é ruivo

Pode não parecer, mas ser membro de uma família monárquica pode ser difícil, e muitas vezes há relutâncias sobre o papel. Em uma entrevista à revista “Newsweek”, o príncipe Harry sugeriu que ninguém realmente deseja o trono – ou seja, substituir a rainha Elizabeth II. “Estamos envolvidos na modernização da monarquia britânica. Nós não fazemos isso para nós mesmos, mas sim para o melhor para as pessoas”, disse.

Leia também: Príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, é internado em Londres

“Há alguém da família real que realmente deseja ser rei ou rainha ? Eu acho que não, mas nós cumpriremos nossas responsabilidades no momento certo”, contou Harry para a revista.

Na conversa, ele falou sobre sua vida e planos para o futuro da monarquia, repetindo diversas vezes que sempre procurou ser mais do que o “Príncipe Harry ”. Contudo, disse que sempre esteve consciente de que seu status poderia ajudá-lo a fazer a diferença.

A morte da mãe

Outro momento de destaque da entrevista, o príncipe britânico também falou sobre seu “confinamento” em torno da morte da mãe, a Princesa de Wales, Diana, em 1997. Na época, Harry tinha apenas 12 anos e participou da procissão para o velório pelas ruas de Londres ao lado do avô, Duque de Edimburgo, o pai, Príncipe de Wales, o tio Earl Spencer,e o irmão (na época com 15 anos), príncipe William, Duque de Cambridge.

Leia também: Que gafe! Príncipe Philip anuncia aposentadoria e imprensa publica sua morte

“Minha mãe tinha acabado de morrer e tive de fazer um longo caminho atrás de seu caixão, cercado por milhares de pessoas que me olhavam – mais aquelas que assistiam pela televisão”, lembra. “Eu acho que nenhuma criança deveria ser obrigada a fazer algo assim, em qualquer circunstância. Não acho que isso aconteceria hoje”.

Recentemente, foi revelado que Harry buscou instituições de saúde mental para aconselhamento. Na conversa com a “Newsweek”, ele admitiu que não processou o sofrimento pela morte de sua mãe e que, por isso, “está 20 anos atrasados”.

“Minha busca começou quando eu estava no meio dos meus 20 anos”, disse ele. "Eu precisava corrigir os erros que estava fazendo". Ele revelou que sua dor o levou a viver “dois anos de caos total”. Assim, aconselhado pelo irmão, buscou a ajuda psicológica quando tinha 28 anos.

O príncipe também destacou a importância da princesa Diana para mostrá-lo a “vida comum”, contando que ele fazia suas próprias compras. “As pessoas poderiam ficar impressionadas com a vida ordinária que William e eu levamos”, disse.

Possíveis filhos e futuro da monarquia

O príncipe está namorando a atriz norte-americana Meghan Markle, e falou sobre a possibilidade de construir uma família. Sobre isso, afirmou que “caso tenha filhos, eles teriam uma vida comum”.

Leia também: Operação London Bridge: veja plano secreto para funeral da Rainha Elizabeth II

“Mesmo se eu fosse um rei , faria minhas próprias compras. Mas, encontrar um equilíbrio é um desafio delicado, porque não queremos diluir a magia. O público britânico e o mundo todo precisa de instituições como essa”, pontua.

Harry falou sobre seu desejo, juntamente com seu irmão William e sua esposa Catherine, para “levar a monarquia ao século 21”. “Queremos continuar a atmosfera positiva que a rainha consegue há mais de 60 anos, mas não vamos tentar preencher seus buracos”, afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.