undefined
Wikimedia Commons
A Coreia do Norte pode estar se preparando para conduzir um teste nuclear em uma provocação contra Trump

A Coreia do Norte pode estar se preparando para conduzir um teste nuclear em uma demonstração de provocação contra Donald Trump, que não descartou utilizar de ações militares para pressionar o regime de Kim Jong-un a abandonar seus programas de armas nucleares e mísseis balísticos.

Leia também: Trump comia “um belo pedaço de bolo de chocolate” ao autorizar ataque à Síria

Uma base norte-americana de monitoramento chamada “38 North” afirmou nesta quinta-feira (13) que imagens de satélite mostram que a Coreia do Norte estaria preparada para aquele que seria o sexto teste nuclear desde 2006.

“As imagens de satélite comercial [que se localiza no território norte-coreano, onde realizaram testes anteriores, chamado] Punggye-ri mostram que, a partir de 12 de abril, houve atividade contínua em torno do Portal Norte, novas atividades na área administrativa principal e alguns funcionários em torno do Centro de Comando do local”, afirmou o “38 North”.

Ainda segundo o site norte-americano, nas áreas rurais em torno do prédio administrativo principal existem aproximadamente 11 paletes cobertos por tarp com equipamentos e suprimentos, uma formação de pessoal e diversos indivíduos andando de um lado a outro.

Leia também: Na ONU, Reino Unido diz que encontrou gás sarin em amostras de ataque na Síria

Oficiais sul-coreanos, porém, negaram que existem movimentações para um teste nuclear. “Não estão acontecendo atividades incomuns até agora”, afirmou um porta-voz do governo, Roh Jae-chun, segundo informou a agência de notícias Yonhap.

A possibilidade de o líder norte-coreano Kim Jong-un estar planejando conduzir um lançamento de míssil ou teste nuclear coincide com a celebração nacional do próximo sábado, quando se comemora o aniversário do fundador do país, Kim Il-sung, uma data extremamente importante no calendário oficial – também chamado como “O Dia do Sol”.

Pelo menos 200 repórteres, incluindo japoneses e norte-americanos, estão atualmente em Pyongyang se preparando para a cobertura do 105º aniversário. As tensões na região estão crescendo depois de os Estados Unidos enviaram um grupo de ataque de porta-aviões para a península coreana, num movimento que muitos acreditam ser projetado para alertar o regime sobre a realização de testes nucleares ou de mísseis.

Leia também: Maduro leva pedradas durante desfile militar e clima no país fica mais tenso

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou na quinta-feira a um painel parlamentar que Kim Jong-un pode ser capaz de disparar mísseis com gás neurotóxico, como o sarin.

No começo desta semana, Trump tuitou: “A Coreia do Norte está procurando por problemas. Se a China decidir colaborar, seria ótimo. Se não, nós resolveremos o problema sem eles! U.S.A”.

    Leia tudo sobre: Donald Trump

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários