Tamanho do texto

Papa condenou a violência e disse que, por meio da oração, se associa com a dor das famílias enlutadas

O papa Francisco enviou telegramas de condolências à Tunísia, ao Kuwait e à França, atingidos na sexta-feira (26) por “atentados terroristas”, condenando “uma vez mais a violência”, informou hoje (28) o Vaticano.

Francisco
AP
Francisco "exprime a sua profunda simpatia aos feridos e suas famílias, pedindo ao Senhor que lhes traga conforto e consolo", disse, em telegrama

Francisco “exprime a sua profunda simpatia aos feridos e suas famílias, pedindo ao Senhor que lhes traga conforto e consolo”, num telegrama dirigido à França e assinado pelo cardeal Pietro Parolin. 

“O Santo Padre condena uma vez mais a violência que gera tanto sofrimento e pede a Deus o dom da paz, invocou o benefício das Bênçãos Divinas em relação às famílias enlutadas e aos franceses,” adiantou o Vaticano.

Num telegrama semelhante, o papa “associa-se por meio da oração à dor das famílias enlutadas e à tristeza dos tunisinos”.

Dirigindo-se aos kuwaitianos, Francisco encoraja-os a não perderem a coragem face à face do diabo.

Um atentado, reivindicado pelo grupo radical Estado Islâmico (EI) e feito por um jovem tunisino na praia de um hotel de Sousse, na costa oriental da Tunísia, causou na sexta-feira a morte de 38 pessoas.

No mesmo dia, no Kuwait, um atentado suicida contra uma mesquita xiita causou 26 mortes.

Ainda na sexta-feira, ocorreu na França um atentado ‘jihadista’ numa fábrica de gás industrial perto de Lyon (leste), cujo autor decapitou um homem antes de ser detido.

    Leia tudo sobre: estado islâmico
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.