Vice-presidente Hamilton Mourão
Marcos Corrêa/PR
Vice-presidente Hamilton Mourão

vice-presidente Hamilton Mourão se culpou por não conseguir conter o desmatamento na Amazônia neste ano. O reconhecimento do político aconteceu nesta terça-feira (23) em entrevista coletiva no Palácio do Itamaraty, após  reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL).

"Se você quer um culpado, sou eu. Não vou dizer que foi o ministro A ou ministro B. Eu que não consegui fazer a integração de forma que funcionasse", declarou Mourão.

Apesar de se responsabilizar pelas queimadas, Mourão acentuou que não tem um papel executivo na gestão federal. "Eu tenho meus limites na minha cadeira de presidente do Conselho. Eu não posso dar ordem, isso é uma limitação bem grande. O governo é exercido pelo governo e seus ministros", afirmou o general.

O vice-presidente justifica que a integração entre as Forças Armadas e os órgãos vinculados ao Conselho ocorreu somente no final de junho de 2021, por isso, o período para conter o desmatamento não foi suficiente.

Leia Também

Segundo uma pesquisa divulgada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) na semana passada, o desmatamento avançou 21,97% entre agosto de 2020 e julho de 2021 na comparação anual, o maior índice em 15 anos.

Além disso, Mourão ressaltou durante a coletiva que apenas 65% do desmatamento informado pelo Inpe foi ilegal. O restante, os 35%, teriam sido  aprovados pelo governo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários