COP26 precisa dar 'respostas eficazes', diz Papa
Reprodução
COP26 precisa dar 'respostas eficazes', diz Papa

O papa Francisco pediu nesta segunda-feira (4) que a próxima cúpula climática das Nações Unidas, a COP26, em Glasgow, ofereça "respostas eficazes" à  crise climática no planeta.

A declaração foi dada pelo líder católico durante um encontro no Vaticano chamado "Fé e Ciência: Rumo à COP26", promovido pelas embaixadas de Reino Unido e Itália na Santa Sé e que reuniu religiosos e cientistas de todo o mundo - os dois países são coorganizadores da cúpula climática em 2021.

"A COP26 de Glasgow é chamada com urgência a oferecer respostas eficazes à crise ecológica sem precedentes e à crise de valores em que vivemos, e assim oferecer uma esperança concreta às gerações futuras", disse o Papa.

Segundo Francisco, é necessário reconhecer que o mundo é "interconectado" e compreender as "consequências danosas de nossas ações". "Não se pode agir sozinho, é fundamental o empenho de cada um para a tutela dos outros e do meio ambiente", acrescentou.

Jorge Bergoglio ainda afirmou que as "sementes de conflito", como "ambição, indiferença, ignorância, medo, injustiça, insegurança e violência", provocam as "graves feridas que infligimos ao meio ambiente, como as mudanças climáticas, a desertificação, a poluição e a perda de biodiversidade".

Leia Também

Leia Também

Apelo

Os cerca de 40 líderes religiosos presentes no encontro desta segunda-feira assinaram também um apelo conjunto que foi entregue pelo Papa ao presidente da COP26, Alok Sharma, e ao ministro das Relações Exteriores da Itália, Luigi Di Maio.

O documento pede que o mundo zere o quanto antes as emissões líquidas de gases do efeito estufa para limitar o aquecimento global neste século a 1,5ºC acima dos níveis pré-industriais. Além disso, exorta os países ricos e aqueles com maior responsabilidade a tomar a iniciativa, intensificando suas ações pelo clima e financiando nações vulneráveis.

"As gerações futuras não vão nos perdoar se desperdiçarmos a oportunidade de proteger nossa casa comum. Herdamos um jardim, não podemos deixar um deserto aos nossos filhos", diz o apelo. Entre os signatários estão representantes de todas as confissões cristãs, muçulmanos sunitas e xiitas, judeus, hindus, sikhs e budistas, entre outros.

"Estou honrado em receber esse histórico apelo conjunto enquanto nos esforçamos para limitar o aumento da temperatura global a 1,5ºC", disse Sharma.

"Devemos escutar as pessoas mais atingidas pelas mudanças climáticas, e espero que as pessoas de fé continuem sendo uma parte fundamental nesse diálogo", acrescentou. A COP26 acontece entre 31 de outubro e 12 de novembro, em Glasgow, no Reino Unido.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários