Queimadas no Mato Grosso
Paulo Brando/IPAM
Queimadas no Mato Grosso

As  queimadas e os incêndios na Amazônia  atingiram 95,5% das espécies presentes no bioma, incluindo plantas e animais. O dado foi apresentado em um estudo publicado hoje (1º) na revista científica Nature, que contou com a participação de cientistas brasileiros.

Entre 2001 e 2009, período analisado pelos pesquisadores, o fogo afetou 85,2% das espécies de plantas e animais ameaçados de extinção no bioma, que guarda 10% da biodiversidade do planeta. Durante esses oito anos, quase 190 mil quilômetros quadrados de floresta foram queimados, e as espécies não ameaçadas sofreram impactos em 64% do seu território.

Paulo Brando, pesquisador do IPAM (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia) e da Universidade da Califórnia em Irvine, e um dos autores do documento, aponta os dois maiores vilões da região no Brasil. "O desmatamento é o principal vilão da biodiversidade da Amazônia, com os incêndios florestais logo atrás", diz.

"Muitas espécies de plantas e animais da Amazônia possuem distribuições restritas, o que aumenta as chances desses incêndios florestais causarem grandes perdas em biodiversidade", completa.

Você viu?

Os autores do estudo estimam que os números estejam subestimados, já que não contemplam outras espécies do reino animal, e nem a perda de biodiversidade antes do período selecionado.

De 2009 a 2018, o Brasil passou por um período de controle mais rígido e políticas públicas contra o desmatamento e as queimadas. De 2019 em diante, no entanto, o Governo Federal mudou as orientações, o que para Paulo Brando, significou um enorme retrocesso.

"As mudanças de 2019 mostram um retrocesso gigantesco na conservação da Amazônia; se fizermos um paralelo com a indústria automotiva, seria como se tivéssemos retirado o cinto de segurança dos nossos carros em pleno século 21", comenta.

Em média, a Amazônia tem 3 mil km² de área queimada por ano. A cada 10 mil km² - ou seja, pouco mais de três anos -, 40 novas espécies podem sofrer consequências da ação humana.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários