Ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles
Reprodução/Flickr
Ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles


Um assessor especial do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles , através de um grupo de aplicativo de mensagens, pressionou fiscais do Ibama a cancelar uma autuação, revelam diálogos de março deste ano que foram incluídos no inquérito. A Reuters teve acesso ao processo que investiga o titular da pasta em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF). A informação é do portal de notícias Terra,

Salles enfrenta uma investigação sobre exportação ilegal de madeira. Semana passada, o ministro foi alvo de uma operação de busca e apreensão de documentos e materiais eletrônicos em endereços ligados ao seu nome, assim como a quebra de sigilo bancário e fiscal de janeiro de 2018 até maio deste ano.

Naquele momento, o Supremo Tribunal Federal decidiu afastar 10 pessoas, incluindo o assessor especial do ministro, Leopoldo Penteado Butkiewicz, e o presidente do Ibama, Eduardo Fortunato Bim. 

O diálogo apresentado por um servidor do Ibama , que prestou depoimento espontaneamente no dia 2 de março, o assessor de confiança de Salles solicitou informações sobre uma propriedade embargada, enviando, inclusive, documentos do processo administrativo.

Butkiewicz perguntou se era possível ter acesso ao processo e afirmou que se poderia realizar um desembargo porque "parece que já cumpriu as medidas de recuperação".

Segundo relatório da Polícia Federal, o assessor especial do ministro tem interferido no andamento do processo. 

Você viu?

"Extrai-se, portanto, do referido depoimento, que, atualmente, Leopoldo Penteado Butkiewicz, assessor especial do Ministro Ricardo Salles, tem não apenas atuado na Superintendência de Apuração de Infrações Ambientais (SIAM/GAB), setor diretamente subordinado ao gabinete do presidente do Ibama, com acesso a documentos, processos e dados de autuados, mas também tem intercedido diretamente nesses processos, dando ordens diretamente aos técnicos do órgão".

"Dentre o material obtido no celular da testemunha, merecem destaque os seguintes trechos de diálogos realizado entre ele e o assessor especial do ministro do Meio Ambiente, os quais, s.m.j. (salvo melhor juízo), demonstram claramente a atuação do referido assessor no patrocínio direto de interesses privados de autuados perante a administração pública", completou.


Procurado, o Ministério do Meio Ambiente nao se manifestou imediatamente. Támbém não foi possível encontrar Leopoldo Penteado Butkiewicz para colher sua versão.

A P olícia Federal segue investigando o assessor especial do ministro, quanto aos crimes de advocacia administrativa, facilitação de contrabando, organização criminosa e busca de dificultar a fiscalização do Poder Público de questões ambientais.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários