Tamanho do texto

Companhia de Engenharia de Tráfego vai fazer algumas mudanças no trânsito da capital por conta do aniversário da cidade nesta quarta-feira

Com a suspensão do rodízio, veículos com placa 5 e 6 poderão circular nas ruas e avenidas do chamado centro expandido
Shutterstock
Com a suspensão do rodízio, veículos com placa 5 e 6 poderão circular nas ruas e avenidas do chamado centro expandido

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) vai suspender o rodízio municipal de veículos nesta quarta-feira (25), aniversário da cidade de São Paulo. A suspensão também vale para os veículos pesados e demais restrições a veículos de passeio e caminhões.

LEIA MAIS: 463 anos de São Paulo: saiba o que abre e fecha na capital nesta quarta-feira

A restrição volta a valer na quinta-feira (26) para carros com número final de placa 7 e 8. Os veículos não poderão circular nas ruas e avenidas do chamado centro expandido das 7h às 10h e entre 17h e 20h. Essa região é delimitada principalmente pelas marginais e começa na Ponte do Tatuapé, na Marginal Tietê, e vai até a Ponte Engenheiro Ari Torres, na região da Avenida dos Bandeirantes.

Já a Zona Azul continuará valendo conforme os horários dispostos nas placas indicativas, afirmou a CET. Lembrando que as folhas de papel do estacionamento rotativo não valem mais na cidade . Para pagar a tarifa e garantir o local sem o risco de levar uma multa, é preciso utilizar um dos aplicativos para celular credenciados pela companhia.

Para os amantes da magrela, as ciclofaixas de lazer serão ativadas das 7h às 16h nesta quarta-feira. No total, são 120,9 km distribuídos por toda a capital, mas os ciclistas devem estar atentos aos eventos que vão ocorrer por conta do aniversário da cidade e podem bloquear trechos das ciclofaixas.

Aumento da velocidade

Nesta quarta-feira, a prefeitura também vai aumentar as velocidades nas marginais Tietê e Pinheiros. Elas passarão para 90 km nas expressas, 70 km nas centrais e 60 km nas locais – apenas a via mais à direita vai permanecer 50 km.

A medida havia sido barrada após pedido da Associação dos Ciclistas Urbanos, mas a Justiça de São Paulo derrubou a liminar nesta terça-feira . Para a desembargadora Flora Maria Nesi Tossi Silva, o programa “Marginal Segura”, como é chamado, prevê também a “implantação de ações educativas, melhoria na sinalização, fiscalização eficiente e adoção de medidas assecuratórias de pronto atendimento aos usuários”.

Além disso, ela acredita que a redução está atrelada a fatores conjugados, e não apenas a redução da velocidade. Flora afirma que, após a velocidade cair, a gestão anterior, do ex-prefeito Fernando Haddad, também promoveu ampla divulgação da medida e debate quanto à segurança no trânsito.