Moraes foi eleito presidente do TSE
Nelson Jr/SCO/STF
Moraes foi eleito presidente do TSE


Eleito novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) , o ministro Alexandre de Moraes afirmou nesta terça-feira que os 150 milhões de eleitores brasileiros "não merecem a proliferação de discurso de ódio, de notícias fraudulentas e disse que a Justiça Eleitoral "não tolerará que milícias pessoais e digitais atentem contra democracia no Brasil".

“A Justiça Eleitoral não tolerará que milícias pessoais ou digitais desrespeitem a vontade soberana do povo e atentem contra a democracia no Brasil”, disse Moraes em discurso feito após o anúncio de sua eleição, feita de forma simbólica.

Alvo constante de ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL), Moraes assume o TSE no dia 16 de agosto e estará à frente do tribunal durante as eleições de outubro. 

Ele foi eleito por unanimidade, em uma votação simbólica, que também alçou à vice-presidência o ministro Ricardo Lewandowski. Seu mandato como presidente do TSE vai até abril de 2024.


Ainda em seu discurso, Moraes lembrou que o Brasil é uma das quatro maiores democracias do mundo, porém a única a proclamar os resultados no mesmo dia do pleito, "com absoluta clareza, confiança e absoluto respeito à soberania popular".

“E é isso que os brasileiros merecem em 2022: eficiência, segurança, transparência e respeito à soberana vontade popular, valor estruturante, imprescindível para a formação de uma sociedade justa, igualitária e solidária”, afirmou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários