Mourão e Bolsonaro
O Antagonista
Mourão e Bolsonaro

O vice-presidente Hamilton Mourão deu prioridade em suas viagens oficiais ao Rio Grande do Sul, por onde deseja concorrer ao Senado. Desde o início do governo, Mourão já passou 31 dias no estado, de acordo com a sua agenda oficial. Os outros locais mais visitados são São Paulo (27 dias) e Rio de Janeiro (21 dias). O vice-presidente nasceu em Porto Alegre e passou parte da sua carreira militar no estado.

Na sexta-feira, Mourão esteve na tradicional Festa da Uva, realizada no município de Caxias do Sul. Foi a sua segunda viagem para o estado neste ano. Em 2021, ele esteve lá em 12 dias. Em 2020, foram quatro dias e, em 2019, 13.

Ao decidir sair candidato pelo Rio Grande do Sul — outra opção era o Rio de Janeiro —, Mourão se colocou no meio de uma disputa interna na base aliada do presidente Jair Bolsonaro: tanto o ministro Onyx Lorenzoni (Trabalho e Previdência) como o senador Luiz Carlos Heinze (PP-RS) querem ser candidatos ao governo estadual.

Na última semana, Mourão disse que é “praticamente” certo que ele vai se filiar ao Republicanos. A outra opção era o PP, partido de Heinze. De acordo com o presidente do Republicanos no Rio Grande do Sul, deputado federal Carlos Gomes, a decisão sobre qual coligação ele vai integrar ainda não foi tomada.

— Tanto Onyx como Luiz Carlos Heinze querem muito que nós possamos estar com ele. Mas essa decisão ainda será tomada em conjunto com o partido — afirma.

Gomes, que esteve com Mourão duas vezes na semana passada (primeiro no Palácio do Planalto e depois na Festa da Uva), afirma que o vice-presidente está “animado” com a candidatura.

— Nós ficamos naquilo que ele mesmo disse, que está praticamente certo. (Falta) Mais questão de esperar o prazo, que ele determinou que será em março. A expectativa da candidatura dele é muito grande — afirma.

Leia Também

Heinze também esteve na Festa da Uva. No último dia 11, antes de Mourão anunciar que a filiação ao Republicanos estava praticamente certa, o senador deu entrevista à “TV Pampa”, em que manifestou o interesse de ter o vice-presidente a seu lado. De acordo com ele, o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), cotado para disputar o Senado, mandou mensagem para o próprio Mourão demonstrando a intenção de desistir da candidatura para atrair o vice-presidente à chapa.

— Foi feito um convite a ele para que pudesse ser candidato pelo PP. Ele está sendo ciceroneado e procurado pelo Republicanos. A decisão agora é dele. O convite foi feito — disse Heinze na entrevista.

Segundo o site de notícias “O Sul”, que pertence ao mesmo grupo do canal de televisão, Heinze destacou ainda que, mesmo que Mourão vá para o outro partido, o desejo dele é estar junto com o vice-presidente, e que pretende atrair o Republicanos para sua coligação.

Eventos militares

Em suas viagens, Mourão já visitou 17 cidades gaúchas. Nos compromissos que teve no estado, destacam-se os eventos militares. Em sua agenda oficial, constam 19, sendo que em alguns dias houve mais de um. Os compromissos foram variados, desde aniversário do Colégio Militar de Porto Alegre, em março de 2019, até visitas à Coudelaria de Rincão, unidade do Exército onde se criam cavalos, localizada em São Borja, em outubro de 2021. Há ainda algumas cerimônias de transmissão de cargos militares no estado.

O campo também mereceu atenção especial do vice-presidente, com 12 compromissos, que incluem visitas a parque de exposições e a associações de produtores, entre outros. Houve ainda mais seis compromissos com empresários que não são do campo, como uma visita à fábrica de armas Taurus, localizada em São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre, em 4 de fevereiro deste ano.

Outra agenda recorrente foi a da Saúde, com sete compromissos, como visitas a hospitais. Ele também foi ao estado receber cinco homenagens, como a concessão do título de cidadão portalegrense, em junho de 2019, e de cidadão benemérito ijuiense, na cidade de Ijuí, em outubro de 2021.

A agenda dele ainda inclui, entre outras coisas, um encontro com político, o governador gaúcho Eduardo Leite, em março de 2019; uma ida à posse dos dirigentes do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), com sede em Porto Alegre, em junho de 2019; dois compromissos com a imprensa; e mais dois com maçons das cidades de Bagé e Canoas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários