Tamanho do texto

Héder alcançou 47% dos votos na eleição deste domingo e terá como adversário Miranda , que somou 30%; Paulo Rocha ficou em terceiro

Vencedor da disputa entre Hélder e Miranda no Pará tomará posse no dia 5 de janeiro
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Vencedor da disputa entre Hélder e Miranda no Pará tomará posse no dia 5 de janeiro

Os candidatos Hélder Barbalho (MDB) e Márcio Miranda (DEM) vão disputar o segundo turno da eleição no Pará para o cargo de governador do Estado. O resultado foi confirmado pela Justiça Eleitoral às 21h10 deste domingo (7) após apuração de 97% das urnas. A votação do segundo turno está agendada para o dia 28 deste mês.

Leia também: Comissão de Ética da Presidência abre investigação contra nove ministros

Mais de 4 milhões de eleitores participaram da votação em todo o Estado neste domingo, número que equivale a 79,9% das mais de 5,4 milhões de pessoas que compõem o eleitorado paraense. Hélder Barbalho obteve 47,8% (1,7 milhões de votos) dos mais de 3,7 milhões de votos válidos registrados na eleição no Pará , enquanto o candidato Márcio Miranda foi escolhido por 30,1% do eleitorado paraense (1,1 milhões de votos).

Paulo Rocha (PT), terceiro colocado, obteve 16,8% dos votos válidos, seguidos de Fernando Carneiro (PSOL), 4,5% e Cleber Rabelo (PSTU), com menos de 1%. Brancos e nulos somaram 10%.

Leia também: Jader Barbalho ofereceu banco para gerir propinas, diz Sérgio Machado em delação

Os desafios para quem vencer a eleição no Pará

Hélder Barbalho (MDB) tomará posse no Palácio Lauro Sodré em 5 de janeiro
Carlos Macapuna

A região metropolitana de Belém (RMB), que compreende Ananindeua, Belém, Benevides, Castanhal, Marituba, Santa Bárbara e Santa Izabel, foi avaliada pelo Índice de Bem-Estar Urbano (IBEU) no início deste ano como a região metropolitana com a pior qualidade de vida do Brasil. As condições de haitação, saneamento básico, acessibilidade e relação com o meio ambiente expõem um território que cresce desordenadamente e deixa a desejar em serviços básicos.

A partir dos dados do último censo do Instituto Brasileira de Geografia e Estatística (IBGE), vê-se que a região metropolitana do estado teve o pior resultado do país nos quesitos lixo acumulado, esgoto a céu aberto e arborização no entorno de domicílios. Cerca de duas toneladas de lixo são produzidas diariamente na capital Belém, sendo que, deste total, meia tonelada acaba descartada nas ruas e canais, acumulando-se.

O déficit habitacional da região metropolitana do estado também é o maior do Brasil, sendo que, ainda segundo a pesquisa do IBGE,  seriam necessárias ao menos 80 mil unidades habitacionais para correção.  A Constituição Federal de 1988 garante, no artigo 6º, a moradia como direito social de todos.

Leia também: É preciso ampliar em 62% investimento em saneamento, diz pesquisa da CNI

O vencedor da disputa entre Hélder Barbalho (MDB) e Márcio Miranda (DEM) no segundo turno da eleição no Pará tomará posse no dia 5 de janeiro. Seu mandato vai até o dia 31 de dezembro de 2021.