Pastor Arilton Moura em evento na Bahia
Reprodução/O Globo
Pastor Arilton Moura em evento na Bahia

Apontado como um dos lobistas no Ministério da Educação (MEC), o pastor Arilton Moura aparece em vídeo feito no dia 7 de agosto do ano passado, na cidade de Coração de Maria, na Bahia, apresentando o ministro Milton Ribeiro a professores do município. No registro, Moura se refere a Milton Ribeiro como "irmão e parceiro" e diz se orgulhar de tê-lo levado à cidade. Ele também enaltece o mandato do presidente Jair Bolsonaro e diz que "esse é o nosso governo".

Segundo o jornal "O Estado de S. Paulo", Arilton, que é assessor de Assuntos Políticos da Assembleias de Deus no Brasil, atuava no Ministério da Educação, facilitando agendas para pessoas de fora do governo e participando da liberação de verbas para prefeitos. O presidente da Convenção Nacional de Igrejas e Ministros das Assembleias de Deus no Brasil, Gilmar Silva dos Santos, também atuaria como lobista.

"Vai ficar nos anais da cidade Coração de Maria, onde vieram dois ministros de governo. O Ministro de educação, Milton (Ribeiro), e o ministro João (Roma, que ocupa a pasta da Cidadania), que já é prata da casa. Acima de tudo, só se muda o país com educação. Só se muda o nosso país com a educação. Só há uma transformação em nosso país, se houver educação em cada professor que está aqui hoje. Esse legado sai de cada um de vocês. Por isso quis trazer o nosso ministro, irmão e parceiro ao nosso município [...] Esse é o nosso governo, é o governo do presidente Jair Bolsonaro. Nós queremos fazer um governo diferente", diz.

Gilmar Santos e Arilton Moura não têm ligação com a administração pública e são apontados como articuladores de uma espécie de gabinete paralelo do ministro. Eles tinham as portas abertas no alto escalão do governo federal, incluindo no Palácio do Planalto, onde se encontraram três vezes com o presidente Jair Bolsonaro, e também com ministros e secretários. Um quarto encontro com o presidente ocorreu no Ministério da Educação, junto com Milton Ribeiro. Na segunda-feira, o jornal "Folha de S. Paulo" divulgou um áudio de uma reunião na qual o ministro afirma que houve um "pedido especial" de Bolsonaro para atender aos pleitos do pastor Gilmar Santos.

Segundo os registros de compromissos do presidente, dois dos encontros aconteceram no primeiro ano de mandato, em 2019: nas duas ocasiões em eventos com outras lideranças evangélicas. Em 2020, Bolsonaro novamente recebeu o pastor Gilmar Santos em seu gabinete. Dessa vez, para uma audiência a sós. No mesmo dia, logo após o encontro com o Bolsonaro, o religioso foi ao Ministério da Educação se encontrar com Milton Ribeiro, de acordo com os horários das reuniões.

Leia Também

Por fim, no ano passado, em fevereiro, os três participaram de um evento no Ministério da Educação. Em publicação nas suas redes sociais, Gilmar destacou que levou mais de 40 prefeitos de quatro estados "para tratar dos avanços e desafios da educação atual" para a sede da pasta.

Em nota, o ministro da Educação negou que o presidente Jair Bolsonaro tenha pedido atendimento preferencial a prefeituras apadrinhadas por pastores. Ribeiro afirmou ainda que todas as solicitações feitas à pasta são encaminhadas para avaliação da área técnica.

O comunicado ainda diz que "desde fevereiro de 2021 foram atendidos in loco 1.837 municípios em todas as regiões do País, em reuniões eminentemente técnicas organizadas por parlamentares e gestores locais, registradas na agenda pública do Ministério, estabelecendo relação direta entre o MEC e os entes federados".

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários