Fachada do Ministério da Eduucação
Daniel Marenco / Agência O Globo
Fachada do Ministério da Eduucação


O Ministro da educação, Milton Ribeiro, nomeou Inez Augusto Borges como assessora especial do MEC (Ministério da Educação), com um salário de R$ 13.623,39.  Inez é religiosa , ministra palestras em igrejas sobre "retorno aos princípios bíblicos da educação " e ataca a base comum curricular do governo federal. Ao assumir o ministério, Milton Ribeiro afirmou que iria defender a laicidade na educação, ele é pastor presbiteriano. As informações são de uma reportagem produzida pelo jornal Folha de S.Paulo .


Inez Augusto Borges não possui experiência com políticas públicas, mas consta em seu currículo que é é doutora em ciência da religião e mestre em educação cristã. A assessora também é presbiteriana.Ela mantém um site, onde diz que desenvolve pesquisa nas áreas de educação, cultura e governo "a partir de uma perspectiva que integra a visão bíblica , histórica, filosófica e política".

Você viu?

Em um evento online realizado pela igreja Presbiteriana da Penha (SP), Borges defendeu novamente os princípios biblícos na esfera governamental. "Vivemos uma crise mundial de autoridade, uma crise mundial em relação a governo, e nós precisamos retornar aos princípios bíblicos de governo , precisamos entender o que é o Reino de Deus", afirmou.

A assessora já realizou uma palestra chamada "Retorno aos princípios bíblicos da educação", de setembro de 2018, em que criticou a menção de quilombolas em livros  didáticos. Borges defende que há um movimento internacional de dominação cultural da esquerda por meio da educação , com o intuito de romper com os valores familiares e defendidos pela igreja. 

"Há um plano de emburrecimento, plano de escravização, um plano de domínio mundial, por meio da educação, por meio do sistemas educacionais internacionais. A Base Nacional Comum Curricula r não é Base comum, é Base Internacional", disse Inez. A assessora disse ainda que igreja tem  deixado que o “estado assumisse todas as etapas” da educação.

A assessora faz associação do ensino laico , norteado por princípios nacionais, com a doutrinação de jovens sobre a legalização do aborto.“E nós estamos sendo chamados por essa definição de pedagogia a mandar nossa crianças com 4 anos, obrigatoriamente”, diz.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários