Tamanho do texto

Enquanto 15,6 mil professores dizem ter visto alunos sob efeito de drogas ilícitas dentro de sala, 11,6 mil já presenciaram alunos sob efeito de álcool

pessoa fumando maconha arrow-options
Wikimedia Commons
Professores relataram ter visto mais alunos sob influência de drogas ilícitas do que de álcool em sala de aula

A presença de alunos sob efeito de drogas lícitas e ilícitas dentro das escolas públicas brasileiras é uma realidade na rotina de dezenas de milhares de professores . Os dados foram constatados pelo Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado nesta terça-feira (10).

Entre os números gerais da violência no Brasil, o estudo também analisou os índices de violência presenciados por alunos e professores dentro de escolas públicas brasileiras com mais de 20 mil alunos ao longo do ano de 2018. 

Leia também: Mais de 8 mil professores sofreram tentativa de assassinato em sala em 2018

Em questionários aplicados a diretores e professores da rede pública, o anuário descobriu que a presença de alunos sob efeitos de drogas lícitas já foi percebida por 15.670 docentes, equivalente a 21% do total de entrevistados. Enquanto isso, a presença de alunos sob efeito de álcool foi notada por 11.661, cerca de 15% dos participantes da pesquisa.

Violência nas escolas

Além da relação dos alunos com drogas, o anuário da violência também analisou agressões, tentativas de assassinatos sofridas por parte de professores e até mesmo a quantidade de docentes que já viram alunos portando armas em sala de aula.