Tamanho do texto

Em vídeo, ministro da Educação diz que recebeu mensagens de pais acusando ameaças a seus filhos para que participem das manifestações desta quinta

Weintraub
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil - 15.5.19
Weintraub aponta "coação" de estudantes e pede que pais denunciem

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, publicou um vídeo em suas redes sociais na noite desta quarta-feira (29) em que acusa professores de coagirem estudantes para participarem das manifestações em prol da educação , marcadas para esta quinta-feira (30) em todo o país .

"Esse governo acredita que as manifestações democráticas e pacificas são um direito de todos os brasileiros. Contra, a favor. O que não pode acontecer é a coação de pessoas que, num ambiente escolar público, criem algum constrangimento aos alunos a participarem dos eventos", afirmou Weintraub em vídeo divulgado no Twitter.

"Nós estamos aqui recebendo no MEC cartas e mensagens de muitos pais de alunos citando explicitamente que alguns professores, funcionários públicos, estão coagindo os alunos ou falando que eles serão punidos de alguma forma caso eles não participem das manifestações. Isso é ilegal, isso não pode acontecer", acrescentou.

Na sequência, o ministro pediu para os que passaram por tal situação enviarem "a prova" para um endereço de ouvidoria do MEC, que tomará "as medidas legais".

"O MEC está em um esforço muito grande para que o ambiente escolar não seja prejudicado por uma guerra ideológica que prejudica o aprendizado dos alunos. O objetivo é formar, ensinar e potencializar ao máximo todo o futuro dos nossos jovens e das nossas crianças. Qualquer coisa diferente disso, que prejudique esse grande objetivo, por favor, nos comunique. Nós somos contra qualquer forma de constrangimento, seja de qualquer matiz ideológica" concluiu.

Leia também: Ministro da Educação toca gaita para servidores em hall de entrada do MEC

Reações

Não demorou para que diversos usuários respondessem o ministro. Pais se manifestaram em apoio, mas também dizendo que iriam às ruas contra os cortes no MEC . Jonathan Felipe foi um dos que disseram que participaria da manifestação para lutar "pela educação dos meus filhos".

"Amanhã certamente estarei nas ruas lutando pela educação dos meus filhos! #Tsunami30", escreveu Jonathan. Na manhã desta quinta, o ministro respondeu: "E quem vai trabalhar para sustentar sua família? Ou já está com a vida ganha?".

Weintraub responde usuário
Reprodução/Twitter
Weintraub responde usuário que irá às manifestações

Na sequência, outro seguidor criticou a resposta do ministro: "Peça desculpas por essa insinuação de que as pessoas que vão à manifestação não trabalham. O senhor sequer sabe a ocupação da pessoa e a macula dessa forma. Sua concepção de trabalho pode estar atrasada, tal como sua educação. Dê o respeito!".

Na manhã desta quinta, Weintraub voltou ao Twitter para  acusar a imprensa de produzir "fake news" contra o MEC e utilizou um guarda-chuva no novo vídeo, também gerando reações dos usuários.