Tamanho do texto

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, atos ocorrem nas 27 capitais brasileiras e em várias outras cidades do país

Protesto
Cristiane Mattos/ O Tempo/ Agência O Globo
Protesto contra cortes na Educação em Belo Horizonte, Minas Gerais

Protestos contra o bloqueio de verbas das universidades públicas e de institutos federais tomaram diversas cidades brasileiras nesta quarta-feira (15). Convocados por entidades como a União Nacional dos Estudantes (UNE) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), os atos também criticam a possibilidade de extinção da vinculação constitucional que assegura recursos para o setor e a proposta de reforma da Previdência.

Segundo a CNTE, há atos previstos nas 27 capitais brasileiras e em várias outras cidades do país.

Leia também: PM publica foto com colegas e diz que vai "brincar com comunas" na Esplanada

Confira fotos dos atos pelo país:


O Ministério da Educação (MEC) garante que o bloqueio de recursos se deve a restrições orçamentárias impostas a toda a administração pública federal em função da atual crise financeira e da baixa arrecadação dos cofres públicos.

Segundo o MEC , o bloqueio preventivo atingiu apenas 3,4% das verbas discricionárias das universidades federais, cujo orçamento para este ano totaliza R$ 49,6 bilhões. Deste total, segundo o ministério, 85,34% (ou R$ 42,3 bilhões) são despesas obrigatórias com pessoal (pagamento de salários para professores e demais servidores, bem como benefícios para inativos e pensionistas) e não podem ser contingenciadas.

De acordo com o ministério, 13,83% (ou R$ 6,9 bilhões) são despesas discricionárias e 0,83% (R$ 0,4 bilhão) diz respeito àquelas para cumprimento de emendas parlamentares impositivas – já contingenciadas anteriormente pelo governo federal.

Acompanhe ao vivo os protestos: