Tamanho do texto

Abraham Weintraub afirmou que "perguntar sobre tolerância ou pluralidade aos reitores de esquerda faz tanto sentido quanto pedir sugestões sobre doces a diabéticos" para justificar cortes de recursos nas universidades

Abraham Weintraub
André Borges/MEC
Ministro da Educação Abraham Weintraub ironizou reitores das universidades federais


Depois de abrir uma crise com as universidades federais anunciando cortes orçamentários de 30% por razões ideológicas, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, usou as redes sociais para ironizar as respostas de reitores. De acordo com o ministro, não tem como discutir pluralidade com seguidores da esquerda.

Leia também: PSOL vai à PGR contra corte em universidades e acusa ministro de improbidade

"Para quem conhece universidades federais, perguntar sobre tolerância ou pluralidade aos reitores (ditos) de esquerda faz tanto sentido quanto pedir sugestões sobre doces a diabéticos", escreveu o ministro da Educação em seu Twitter.

Weintraub decidiu cortar os recursos de três universidades : UnB, UFBA e UFF. Os motivos seriam o comando ideológico, com criação de programas voltados para a política de esquerda. Após críticas, o MEc decidiu estender o veto aos recursos para todas as instituições federais.

Dentre as principais críticas de especialistas em Educação está o veto à pluralidade presentes nas universidades.

Leia também: Sem citar Paulo Freire, Bolsonaro diz que vai trocar patrono da educação do País

Na visão do novo governo, as universidades precisam priorizar os seus recursos em pesquisa e, recentemente, Bolsonaro declarou que poucas instituições federais de ensino agregam na área, deixando a grande parte para a iniciativa privada. O argumento é o mesmo defendido pelo ministro da Educação .