Tamanho do texto

Número de estudantes matriculados no ensino médio caiu 7,1%, enquanto total de alunos no ensino integral subiu abaixo da meta; Inep atribui carteiras vazias à migração de alunos para o EJA e ao aumento na taxa de aprovação

Censo escolar 2018 foi divulgado nesta quinta-feira pelo Inep
Reprodução/Wikipedia
Censo escolar 2018 foi divulgado nesta quinta-feira pelo Inep

O censo escolar de 2018, divulgado pelo Inep nesta quinta-feira (31), registrou 48,5 milhões de matrículas nas 181,9 mil escolas de educação básica brasileiras. O número significa queda de 1,3 milhão de alunos em relação a 2014, numa redução de 2,6% em cinco anos.

Leia também: Uma em cada três matérias é dada por professor sem formação específica, diz Inep

Segundo o Inep , o número total de estudantes matriculados no ensino médio diminuiu 7,1%. As matrículas no ensino integral, por outro lado, aumentaram após a reforma do ensino médio aprovada em 2017 por Michel Temer (MDB) – ainda assim, abaixo da meta traçada. 

A gestão do ex-presidente conseguiu aumentar o percentual de estudantes que passam sete horas por dia na escola, que era de 7,9% em 2017, para 9,5% em 2018. Porém, a meta era de que as matrículas chegassem a 13% já no fim do ano passado. 

Em 2016, o Brasil tinha 8,1 milhões de estudantes no  ensino médio . Desses, 518 mil passavam sete horas por dia na escola. Já em 2018, essa quantidade subiu para 735 mil, mas o total de matrículas do ensino médio caiu para 7,7 milhões.

Leia também: ProUni abre inscrições e oferece número recorde de bolsas aos candidatos

Segundo o diretor de Estatísticas Educacionais do Inep, Carlos Eduardo Moreno Sampaio, o total de matrículas do ensino médio segue tendência de queda nos últimos anos. “Isso se deve tanto a componentes demográficos, quanto à melhoria no fluxo no ensino médio, no qual a taxa de aprovação subiu três pontos percentuais de 2013 a 2017. A queda também pode ser explicada pelas altas taxas de evasão e da migração de alunos para a Educação de Jovens e Adultos (EJA)”, explicou. 

Já na educação infantil, o número de estudantes aumentou 11,1% de 2014 para 2018, atingindo 8,7 milhões no ano passado. Segundo o Inep, esse crescimento foi decorrente, principalmente, do aumento das matrículas da creche, de 23,8%. 

Leia também: Novo presidente do Inep diz que quer rever Enem para evitar "postura ideológica"

O Censo Escolar é coordenado pelo Inep e realizado com a colaboração das secretarias estaduais e municipais de educação. Tem participação de todas as escolas públicas e privadas do país e abrange diferentes etapas e modalidades da educação básica: ensino regular; educação especial; educação de jovens e adultos (EJA); e educação profissional.