Tamanho do texto

Fugir do tema proposto na redação, trocar informações com outros participantes e deixar o celular ligado podem eliminar o candidato

Não dê bobeira: entregar a prova de redação em branco, com desenhos ou impropérios pode zerar o Enem
shutterstock
Não dê bobeira: entregar a prova de redação em branco, com desenhos ou impropérios pode zerar o Enem

Depois de meses de preparação, os candidatos que farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste domingo (4) e no próximo (11) também devem ficar atentos ao que vai além das fórmulas matemáticas e dados históricos. Isso porque o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep) estabelece regras que, se não forem respeitadas, podem zerar o Enem ou resultar na eliminação do participante antes mesmo de ele começar o exame.

Leia também: Psicólogos e educadores dão dicas para conter a ansiedade antes do Enem

Erros cometidos na hora de realizar a redação ou atitudes que sejam consideradas inapropriadas de acordo com as normas da organização do evento podem fazer com que o candidato perca o direito de disputar uma vaga na universidade por meio do exame ao zerar o Enem . Veja abaixo o que você precisa evitar para que isso não aconteça.

O que pode zerar o Enem na redação?

Para não zerar o Enem na redação é preciso escrever um texto acima de sete linhas, sem fugir do tema proposto
RODRIGO CLEMENTE - 6.12.2009
Para não zerar o Enem na redação é preciso escrever um texto acima de sete linhas, sem fugir do tema proposto


  • Fugir do tema proposto;
  • Não atender à estrutura do texto dissertativo-argumentativo;
  • Entregar a redação em branco;
  • Escrever menos de sete linhas;
  • Escrever impropérios, desenhar na prova;
  • Escrever alguma parte do texto que esteja deliberadamente desconectada com o tema proposto.

No ano passado, um trecho de um dos itens do edital que listava algumas atitudes dos candidatos que ocasionariam a anulação da prova incluía o desrespeito aos direitos humanos na redação do Enem como um dos pontos. No entanto, às vesperas da aplicação da prova, em 2017, a Justiça Federal decidiu suspender a regra .

Contudo, neste ano, o Inep e o Ministério da Educação já afirmaram que a orientação é continuar seguindo a norma contida no Manual de Redação , onde um dos critérios de avaliação da prova dissertativa pede que o candidato não desrespeite os direitos humanos ao solicitar uma proposta de intervenção para o problema abordado.  Esse item não foi modificado pela Justiça e dá margem, portanto, para descontar pontos do participante, caso seja ferido.

Já as provas objetivas - Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Ciências Humanas e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias - têm um esquema de correção diferenciado, a Teoria de Resposta ao Item (TRI), que impede que o participante tire zero mesmo que erre todas as questões – ou tire 1000 mesmo que acerte tudo.

Atitudes que podem levar à eliminação

Além de zerar o Enem cometendo erros na redação, o candidato pode ser eliminado antes mesmo de começar a prova
shutterstock/Reprodução
Além de zerar o Enem cometendo erros na redação, o candidato pode ser eliminado antes mesmo de começar a prova

A entidade também pede aos candidatos que respeitem as recomendações informadas antes do início da prova por meio dos organizadores. O participante poderá ser eliminado se:

  • Começar as provas ou abrir o caderno de prova antes das 13h30, sem a ordem de quem estiver aplicando o exame;
  • Sair da sala de prova, em definitivo, antes de duas horas do início das provas;
  • Sair da sala de prova após 13h sem o acompanhamento de um fiscal;
  • Passar ou pedir qualquer informação referente ao conteúdo das provas;
  • Não entregar ao aplicador, quando terminar as provas, o Cartão-Resposta, a Folha de Redação, a Ficha para Coleta de Dado Biométrico e a Folha de Rascunho;
  • Se recusar, sem justificativa, a passar pela revista eletrônica e pela coleta de dado biométrico, assim como ter seus objetos revistados eletronicamente;
  • Ter mentido sobre a situação socioeconômica para obter a isenção da taxa de inscrição;
  • Chegar após o fechamento dos portões, que acontecerá 13h, seguindo o horário de Brasília;
  • Chegar em sua sala de prova após o início do Exame, que será às 13h30, no horário de Brasília;
  • Não desligar o celular ou guardá-lo em outro lugar que não seja o porta-objetos, conforme a orientação do aplicador da prova;
  • Levar o caderno de prova caso termine antes dos 30 minutos para o fim da prova.

O que levar no dia da prova?

Esquecer documento com foto também é outra maneira de zerar o Enem, já que o candidato não poderá fazer a prova
Reprodução
Esquecer documento com foto também é outra maneira de zerar o Enem, já que o candidato não poderá fazer a prova

Para realizar a prova do Enem 2018 é imprescindível a apresentação de um documento oficial de identificação com foto, que pode ser a carteira de identidade, carteira de motorista, carteira de trabalho, carteira de reservista ou até mesmo o passaporte. Carteira de estudante, crachás, cartão de transporte público ou cópias de documentos – inclusive as autenticadas – não serão aceitas.

Para quem perdeu ou teve o documento roubado, é preciso apresentar o boletim de ocorrência expedido pelo órgão policial até 90 dias do primeiro domingo de aplicação do exame.

O Inep recomenda que o cartão de comprovação de inscrição – que deve ser impresso na página do Enem – seja levado, mas não é obrigatório. Ele pode ser útil para quem precisar comprovar presença na prova para apresentar no trabalho, por exemplo, para colher a assinatura do coordenador no dia da prova.

Caneta preta é o único material aceito para realizar as provas. O objeto ainda precisa ser fabricado com material transparente.

Por ser uma prova longa, é comum que os participantes levem lanche para serem consumidos durante a prova. Os alimentos são permitidos, porém se for industrializado, como biscoitos, salgadinhos e iogurte, é preciso estar lacrado. Todos serão vistoriados antes de o candidato entrar na sala de prova.

É proibido:

  • Lápis ou lapiseiras;
  • Chaves;
  • Livros e manuais;
  • Borracha;
  • Anotações ou impressos;
  • Boné, chapéu, viseira ou gorro;
  • Fones de ouvido ou qualquer transmissor, gravador ou receptor de dados, imagens, vídeos e mensagens;
  • Óculos escuros;
  • Caneta de material não transparente;
  • Dispositivos eletrônicos, como celulares, calculadoras, tablets, pen drives,  gravadores, relógios e alarmes.

Fique por dentro

Quem seguir as regras e não zerar o Enem, poderá consultar o resultado em janeiro do ano que vem, no dia 18
Fernando Frazão/Agência Brasil
Quem seguir as regras e não zerar o Enem, poderá consultar o resultado em janeiro do ano que vem, no dia 18

O exame será realizado em dois domingos seguidos, assim como no ano passado. As datas escolhidas pelo Inep foram os dias 4 e 11 de novembro. Um dos fatores que motivaram o instituto a modificar o exame para os domingos foi a facilitação para os candidatos sabatistas, que tradicionalmente precisavam esperar até às 19h do sábado para iniciar a prova.

A ordem de aplicação dos conteúdos também fica inalterada. Desta vez, no primeiro domingo, dia 4, serão aplicados os exames de Linguagens, Ciências Humanas e Redação, e os candidatos terão 5 horas e 30 minutos para a realização.

Já no segundo dia, 11, os participantes terão que lidar com as questões das provas de Matemática e Ciências da Natureza, com 5 horas, 30 minutos a mais do que no ano passado.

Os resultados do Enem 2018 só devem ficar disponíveis para consulta a partir do dia 18 de janeiro de 2019. Quem não zerar o Enem deve consultar as notas no portal do Inep, no mesmo endereço de inscrição , munidos do número do CPF e a senha cadastrada anteriormente.