Vacina
Divulgação/Fiocruz Minas
Projeto da Fiocruz de Minas Gerais é um dos mais adiantados no país



Começou a produção da vacina que é a grande esperança pelo seu protagonismo em combater o coronavírus.


O  anúncio veio do Ministério da Saúde da Rússia, que neste sábado informou o  inicio da produção de sua vacina Sputnik V contra o coronavírus, registrada nesta terça-feira como a primeira do mundo.

“A produção da vacina contra a nova infecção por coronavírus, covid-19, desenvolvida pelo Centro Nacional Gamaleya de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia”, diz um comunicado divulgado pela agência, citado pelo TASS.

Informou o diretor do centro, Alexánder Guíntsburg, que a vacinação em massa da população russa poderia iniciar em dezembro ou janeiro.

Como reporta a RT, ela foi criada artificialmente, sem nenhum elemento do coronavírus em sua composição, a vacina é apresentada na forma liofilizada, como um pó que é misturado a um excipiente para dissolvê-la e depois administrá-la por via intravenosa.

Dentro da luta contra a pandemia, a vacina mostrou sua eficácia e segurança, de acordo com os resultados de ensaios clínicos. Todos os voluntários desenvolveram imunidade contra coronavírus, enquanto nenhum efeito colateral grave foi registrado após a vacinação.

Ainda foi declarado que ela  pode garantir imunidade ao COVID-19 por um período de até dois anos, segundo o Ministério da Saúde russo.

    Veja Também

      Mostrar mais