Aline Macedo
Reprodução
Aline Macedo

A rodada de negociações entre o Sindicato dos Comerciários e os donos de lojas, realizada na terça-feira (31), deu em água. Por um lado, os trabalhadores pediam um reajuste de 14% — mas a contraproposta não só veio sem recomposição, como ainda incluía aumento da carga horária e a retirada do benefício social familiar.

Os patrões argumentam que, além de terem que arcar com custos trabalhistas muito altos, ainda não conseguiram conseguiram recuperar as perdas da pandemia, com um baixo volume de vendas.

O sindicato reivindica a cobertura da perda inflacionária tendo como parâmetro o INPC — Índice Nacional de Preços ao Consumidor, que mede o poder de compra. Uma segunda conversa foi marcada para a próxima terça-feira (7).

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários