Em meio à reviravolta que colocou em xeque o acordo entre o Ministério Público Federal e os chefões do grupo JBS, deputados – governistas e da oposição – se articulam nos bastidores para dar celeridade à aprovação de projetos que mudam as atuais regras da delação premiada. 

Leia também: Caso Joesley reacende disputa entre PF e MPF pelo poder de inquérito

Uma das propostas, de autoria do deputado Heráclito Fortes (PSB-PI), proíbe o delator de alterar ou acrescentar informações após o primeiro depoimento - sob risco de perder os benefícios da colaboração.

Permanece, por enquanto, parada na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado.

O outro projeto, de autoria do deputado Wadih Damous (PT-RJ), impede investigados que estiverem presos de celebrar acordos de delação premiada.

Leia também: Paraísos fiscais receberam US$ 11 trilhões nos últimos anos

O texto também estabelece que nenhuma denúncia poderá ser baseada apenas em delação e os nomes dos citados devem seguir em sigilo.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários