undefined
Divulgação
Os modelos Abdu Dia e Caetana Santos são protagonistas do ensaio fotográfico “Ébanos”

Até a primeira metade do século XX, uma estética branca determinava os padrões de beleza em praticamente todo o mundo. Hoje, a coisa mudou. Ainda que de maneira lenta, a beleza negra vem ganhado espaço nas passarelas, em campanhas publicitárias, na TV, em concursos de beleza e editoriais de moda, como nesta produção do renomado fotógrafo Ronaldo Gutierrez.

Leia também: Mostra de criadoras em moda afro apresentará desfile a céu aberto

undefined
Divulgação
Deus de Ébano: o africano Abdu Dia brilha para as lentes do fotógrafo Ronaldo Gutierrez

Para a pesquisadora Yaba Blay, autora de importantes estudos voltados para a questão da cor de pele e sobre o cabelo, com foco na estética cultural, a beleza negra é uma questão política. A beleza, em si, se traduz em poder... Poderosos, os modelos Abdu Dia e Caetana Santos estão aqui para mostrar que o negro é lindo! Por sinal, esta era uma das premissas do movimento Black Power, surgido nos Estados Unidos em 1960, na luta pelos direitos civis dos negros.

Leia também: A revolução dos cachos: assuma as suas raízes de cabeça erguida

undefined
Divulgação
De turbante, como uma rainha, a modelo Caetana Santos mostra o poder da beleza negra

As fotos revelam que assim como o corpo, a roupa mantém uma relação muito íntima com o sagrado: por traz de cada gesto há um ritual que o mantém ligado à ancestralidade. O fotógrafo Ronaldo Gutierrez mostra que assumir o gosto e o respeito pelas diferentes formas da estética negra sinaliza um pertencimento e um orgulho dessa herança. “Mas a beleza interior também é fundamental”, faz questão de frisar Caetana, uma das estrelas do seleto time de modelos da agência Mega. E viva a beleza negra!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários