Tamanho do texto

Comida, religião, cultura, música, dança e arte provenientes dos povos africanos são encontradas na cidade mais negra fora da África, Salvador é um tabuleiro de roteiros turísticos e viagens por dentro da História do Brasil

Elevador Lacerda. Hoje é um dos principais pontos turísticos e cartão-postal da cidade
Reprodução
Elevador Lacerda. Hoje é um dos principais pontos turísticos e cartão-postal da cidade




Ah, que bom você chegou. Bem-vindo a Salvador, coração do Brasil. Fundada em 29 de março de 1549, na primeira capital brasileira você encontra de igrejas seculares ao artesanato típico das cidades do interior, da crença diversificada de seu povo mestiço aos mitos e ritos do folclore local. A cidade se abre em um verdadeiro mosaico de atrativos para quem deseja desvendar toda a sua graça e poesia.O visitante vai se surpreender com a múltipla variedade de atrativos turísticos para os mais variados gostos e bolsos. Com 80% da população negra, a cidade é no mundo uma das que mais preservam as cores e sons do continente de seus ancestrais escravos. As diversas expressões folclóricas ostentam a riqueza do imaginário popular: rodas de samba, puxadas de mastro, capoeira, terno de reis, bumba-meu-boi, afoxé e tantas outras colorem, animam e exibem a fé inabalável do baiano por toda a capital. 

Leia também: "Negro" ou "Preto"? Qual o termo mais adequado?

Baianas em trajes típicos, grupos culturais e líderes religiosos em rituais de fé
Reprodução
Baianas em trajes típicos, grupos culturais e líderes religiosos em rituais de fé


Salvador é festa o ano todo. Chegam até a dizer que “baiano quando não está em festa está ensaiando” – uma explosão de alegria de um povo faceiro, resultado da fusão de brancos, indígenas e afros. As manifestações folclóricas, de diversas origens se proliferam com exibições ao ar livre de capoeira, maculelê e samba-de-roda – os festejos populares se sucedem, concentrados no Verão, mas se estendem o ano inteiro, incluindo as festas juninas. Além de popular, os eventos se caracterizam pela devoção religiosa e pela mistura de elementos sagrados e profanos.
Leia também: Cabeleireiro das estrelas: conheça Wilson Eliodorio

Point de turistas e moradores:  Farol da Barra. A obra é um marco turístico e histórico da Bahia
Reprodução
Point de turistas e moradores: Farol da Barra. A obra é um marco turístico e histórico da Bahia


São mais de 300 igrejas seculares. Costuma-se dizer na cidade que existe uma igreja diferente para ser visitada a cada dia do ano. A Igreja do Bonfim, por exemplo, é conhecida pela fé que os baianos nutrem pelo Senhor do Bonfim (o Padroeiro da cidade). É lá, na “Sala dos Milagres”, que são deixadas fotos e réplicas de partes do corpo humano pelos devotos, em agradecimento a alguma cura, após as promessas e pedidos à divindade. Na porta da igreja são vendidas as famosas fitinhas do Senhor do Bonfim. Os devotos costumam atá-las ao pulso com três nós. Para cada nó, faz-se um pedido. A crença reza que, quando a fita se rompe, os pedidos foram atendidos.

Leia também: Meu turbante é minha coroa!

No
Reprodução
No "tabuleiro" da baiana tem... Acarajé. Forte influência da gastronomia local






Tempero bom: moqueca de camarão. Uma das delícias da culinária da Bahia
Reprodução
Tempero bom: moqueca de camarão. Uma das delícias da culinária da Bahia

Comidas típicas. Os pratos presenteiam os olhos, seduzem o olfato e se desmancham ao paladar. É de dar “água na boca”: do apimentado tempero da cozinha típica, à fartura de cores e sabores, tudo isso faz de Salvador uma terra de culinária rica: o dendê vindo da África empresta seu sabor peculiar ao azeite que dá gosto às moquecas, ao caruru, abará e acarajé (uma especialidade gastronômica da culinária afro-brasileira feita de massa de feijão-fradinho, cebola e sal, frita em azeite-de-dendê).O acarajé pode ser servido com pimenta, camarão seco, vatapá, caruru ou salada, quase todos componentes e pratos típicos da cozinha do extremo sul da Bahia.

Leia também a enquete: se você encontrasse a Princesa Isabel, o que você diria?

Centro Histórico: A Pelourinho, popularmente chamado de Pelô, cartão-postal da cidade
Reprodução
Centro Histórico: A Pelourinho, popularmente chamado de Pelô, cartão-postal da cidade

Dentro do roteiro étnico está prevista a visitação aos terreiros de candomblé – com aulas de preservação do patrimônio religioso e o respeito às tradições: o turismo étnico oferece roteiros específicos, como o bairro da Liberdade, com a maior população afro-descendente do país, cerca de 600 mil habitantes. Outro atrativo muito forte no bairro é o bloco afro Ilê Aiyê, fundado em 1974, pioneiro em trabalhos de inclusão social e valorização das raízes negras. Sem falar no Pelourinho, onde se ouve línguas de todos os cantos do mundo. Abriga cerca de 600 prédios restaurados, formando o maior conjunto arquitetônico barroco das Américas. Seus casarões são cartão-postal e patrimônio da humanidade. Entre bares, restaurantes, cafés, galerias de arte e lojas de artesanato, têm lugar cativo o barroco fascinante do Convento de São Francisco e a Casa de Jorge Amado, que reúne as obras mais famosas do escritor e algumas de suas peças.

Leia também: Sua pele. Dicas da dermatologista das estrelas

Trio elétrico. Um dos grandes atrativos do Carnaval da Bahia e outras festas do país
Reprodução
Trio elétrico. Um dos grandes atrativos do Carnaval da Bahia e outras festas do país


Léo Santana com muito rebolation. Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu
Reprodução
Léo Santana com muito rebolation. Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu

Atrás do trio elétrico, “Ah! Imagina só, que loucura essa mistura. Alegria, alegria é o estado, que chamamos Bahia. De todos os Santos, encantos e axé. Sagrado e profano, o baiano é: Carnaval...”. Hino maior do Carnaval da Bahia, a música “Chame gente”, de Morais Moreira, resume com perfeição a alegria e a beleza da cidade de Salvador, durante o maior evento popular a céu aberto do planeta: o Carnaval, segundo o Guiness Book, o livro dos records, a maior festa popular do planeta.

Leia também a enquete: Política Brasileira. Estamos bem representados?

O baiano é herdeiro legítimo da alegria e do ritmo. São seis dias de folia, com grandes nomes da música, blocos afros (grupos carnavalescos que trazem a origem étnica e a herança africana, como o Filhos de Gandhy) e muito axé music (ritmo baiano que nasceu da mistura de ritmos baianos com fusão do frevo e do afoxé). O Carnaval de Salvador além de ser um grande movimento cultural é também uma das festas mais esperadas do ano por milhões de brasileiros, afinal, Bahia é festa, Carnaval é alegria. Esse ano, a música "Me Libera Nega" foi o hit da folia e nomes como Carlinhos Brown, Léo Santana, Ivete Sangalo, Margareth Menezes, Márcio Vitor (Psirico), Cláudia Leitte e É O Tchan brilharam nos palcos de shows e arrastaram mutidões mostrando que atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu.

Leia também: Racismo Virtual. Como "deletar" os infratores

Independência de Salvador. O cortejo acontece dia 2 de julho pelas ruas da cidade
Reprodução
Independência de Salvador. O cortejo acontece dia 2 de julho pelas ruas da cidade

O Disque Bahia Turismo é um serviço oferecido pela Secretaria de Turismo com a finalidade de auxiliar o turista a desfrutar de todos os prazeres que o estado dispõe. Através do número (71) 3116-0000, o visitante pode obter informações sobre programação de cinema, teatro, shows, festas populares e ainda telefones e endereços de farmácias, hospitais e outros serviços de saúde e órgãos de segurança pública. O serviço, que dispõe de operadores trilíngues, poderá ajudar os turistas na sua localização geográfica e no acesso aos meios de transporte para deslocamentos, dentro e fora do estado. Além do calendário de festas: uma programação diária diferenciada, em qualquer época do ano. Além do Carnaval, eventos com roteiros turísticos para você entrar no clima e ser recebido de braços abertos em Salvador, a terra de todos os Santos e encantos.