Vice-presidente Hamilton Mourão
Agência Brasil
Vice-presidente Hamilton Mourão

Nesta quarta-feira (04), o governo federal dará início a uma série de voos sobre a região da Amazônia na tentativa de amenizar críticas contra o Brasil pelas queimadas no local. As viagens serão lideradas pelo vice-presidente da República e presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal, Hamilton Mourão , e se estenderão até sexta-feira. As informações são do jornal Correio Braziliense.

A comitiva com os diplomatas deve passar por trechos da floresta no Amazonas e em Roraima. De acordo com o portal, Mourão foi alertado que a fama que o país ganha no exterior de desmatador pode resultar, em breve, em perdas econômicas severas. Em um vídeo apresentado ontem aos embaixadores que participarão do projeto, o vice-presidente disse que ficará claro que o governo  e os diversos órgãos públicos fazem o possível para reduzir os danos na floresta e monitorar todo o espaço.

Os ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles; da Agricultura, Tereza Cristina; e do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, também participarão da missão junto de Mourão. Além disso, doze diplomatas devem acompanhar a comitiva presidencial, representando África do Sul, Espanha, Peru, Colômbia, Canadá, Suécia, Alemanha, Reino Unido, França, Portugal e a União Europeia e da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA).

Ontem (03), o vice-presidente promoveu a última reunião do ano do Conselho Nacional da Amazônia Legal . O evento contou com a participação de 16 dos 23 ministros do governo Bolsonaro.

Segundo o jornal, Mourão reconheceu que mudar as atuais estatísticas do desmatamento na Amazônia e em outros biomas não será fácil. O general disse que o Executivo atua para reverter o cenário.

Conforme o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a Amazônia já registrou 93.979 focos de calor desde o início de 2020, 25% a mais do que o mesmo período do ano passado.

Floresta preservada

“A gente não pode olhar apenas o Meio Ambiente pelo viés de preservação de território. O Brasil tem 64% de seu território preservado, e na Amazônia chega a 84%. Gostaria de dar um resultado melhor, não logramos, até o presente momento, mas vamos persistir”, afirmou Mourão.

Segundo o vice-presidente, a viagem sobre a Amazônia será uma boa oportunidade para mostrar aos outros países que a floresta continua “pujante e preservada” e que a complexidade ambiental do bioma não permite entendimento “equivocado e genérico” da região.

“Eu vou mostrar aquilo que não está bom. E como eu não posso pousar em todos os lugares, nós vamos sobrevoar a região da BR-163, onde nós sabemos que existem cicatrizes de queimadas, áreas de desmatamento e áreas de garimpo ilegal. Nós vamos passar por cima desses locais. Sobrevoar de modo que os embaixadores vejam o que está acontecendo.”, disse.

    Veja Também

      Mostrar mais