Manchas de óleo arrow-options
Agência Brasil
Manchas de óleo atingiram em maior parte o litoral nordestino

O óleo que atingiu o litoral brasileiro em grandes quantidades no segundo semestre de 2019 continua chegando à costa e ultrapassou a marca de mil pontos atingidos nos últimos. A milésima localidade atingida foi na cidade de Pacatuba , no Sergipe . O volume da substância, no entanto, já é bem menor e se limita a pedaços menores e esparsos.

Segundo informações do Ibama , que monitora a chegada da óleo no litoral desde 30 de agosto de 2019, 1.004 localidades no Nordeste e Sudeste brasileiros foram atingidas. Desse total, 434 pontos locais apresentam vestígios do material.

Leia também: Após atraso, Capes divulga selecionados para pesquisa sobre óleo em praias

No fim de novembro, logo após as manchas chegarem ao Rio de Janeiro, o óleo começou a atingir os locais em menores quantidades.

Durante todos esses meses, grande parte do trabalho de remoção do óleo foi feito por voluntários, funcionários de prefeituras e militares, que recolhiam manualmente a substância das praias.

Leia também: 42% dos brasileiros acreditam que Bolsonaro agiu mal em crise do óleo no litoral

Até hoje a origem do óleo ainda é desconhecida. No meio da crise, a PF (Polícia Federal) chegou a apontar um navio grego, o Boubolina, como principal suspeito pelo vazamento.

O relatório usado pela PF para chegar ao navio tinha sido produzido por uma empresa e foi rejeitado pelo Ibama, que encontrou inconsistências no documento.

    Veja Também

      Mostrar mais