Bolsonaro
Agência Brasil
Para 42% dos brasileiro, governo Bolsonaro agiu mal em crise do óleo no litoral

Pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira (23) revela que, para 42% da população brasileira, o governo de Jair Bolsonaro agiu de modo ruim ou péssimo com o vazamento de óleo que atinge o litoral do país desde o fim de agosto. Outros 31% avaliam a ação do governo federal como regular. Apenas 23% julgam as medidas ótimas ou boas.

Leia também: Bolsonaro vai passar Réveillon na Bahia, mas longe de praias atingidas por óleo

O Nordeste, região mais afetada do país, também foi ouvido na pesquisa, e a avaliação negativa é maior: metade da população local considera ruim ou péssima a atitude de Bolsonaro na crise.

Para o levantamento do Datafolha foram ouvidas 2.948 pessoas acima de 16 anos em 176 municípios nos dias 5 e 6 de dezembro de 2019.

Quase a totalidade dos entrevistados (92%) declarou ter tido conhecimento do desastre ambiental , considerado o maior em extensão no litoral do país.

Em 30 de agosto, as primeiras manchas de óleo aparceram no litoral da Paraíba, afetando na sequência todos os estados nordestinos. Em meados de novembro, Espírito Santo e Rio de Janeiro também identificaram alguma quantidade do material tóxico, em volumes diferentes. A origem do óleo, no entanto, ainda é desconhecida, o que dificulta a determinação do volume exato do petróleo vazado.

Leia também: Bahia, Alagoas e Sergipe ainda têm manchas de óleo, mas situação é estável

A pesquisa Datafolha mostra ainda que a percepção de empresários em relação à crise vai no sentido oposto à dos brasileiros em geral: para 46% dos empreendedores ouvidos, as respostas de Bolsonaro à crise foram consideradas ótimas. Já 60% dos estudantes consideraram-nas ruins ou péssimas.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários