lagosta azul
Reprodução/redes sociais
Até o momento, não existiam registros da lagosta em território brasileiro

Em um dia comum de trabalho no povoado de Barra Grande, região norte de Maragogi (AL), a última coisa que o pescador José Ricardo Maurício, de 44 anos, esperava encontrar era uma das peculiaridades do fundo do mar. Dentre a rede de crustáceos capturados, uma lagosta azul chamou a atenção do pescador, que logo decidiu postar uma foto do animal em suas redes sociais.

Leia também: Casal com bebê é resgatado em bote à deriva após naufrágio em Ilhabela; assista

A lagosta azul ( Palinurus echinatus ) é uma espécie rara e, até o momento, não existiam registros científicos do crustáceo em território brasileiro. Apesar disso, de acordo com o pescador essa não foi a primeira vez em que encontrou a lagosta na região.

Leia também: Quase metade das mortes de animais no litoral de São Paulo tem relação com lixo

lagosta azul
Reprodução/Redes sociais
Pescadores encontraram lagosta rara durante dia de trabalho em Maragogi

"É raro, mas já pesquei umas três, quatro vezes. Mas esta foi a com a cor mais azul que já vi", relatou o pescador. O achado aconteceu no último dia 14, enquanto trabalhava com outros dois pescadores em praia da Maragogi , porém somente agora que a imagem do crustáceo rodou as redes sociais.

Leia também: Austrália trava guerra contra gatos e pretende matar 2 milhões até o ano que vem

Foi o filho de José, Gustavo Felipe, de 12 anos, que fez o registro da lagosta , antes de ela ser devolvida para o mar. Segundo o pescador, era um macho, adulto e que pesava mais ou menos 200 gramas. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários