Tamanho do texto

Rainer Schimpf, de 51 anos, filmava uma migração em massa de sardinhas, na África do Sul, quando foi surpreendido pela mordida de uma baleia-de-bryde

Fotógrafo que acompanhava mergulhador resolveu registrar o momento em que baleia fez aparição
Reprodução/Youtube
Fotógrafo que acompanhava mergulhador resolveu registrar o momento em que baleia fez aparição

Um cinegrafista passou por uma – peculiar – experiência de quase morte, enquanto tentava filmar uma migração em massa de animais na África do Sul. O operador de mergulho Rainer Schimpf, de 51 anos, foi surpreendido e quase foi engolido por uma baleia que acompanhava a “corrida das sardinhas”, um evento natural em que diversas sardinhas migram até a costa e são seguidas por uma variedade de espécies de tubarões, peixes, focas e golfinhos.

Leia também: ONG conclui que é “compreensível” baleia encontrada em área de mata no Pará

Segundo o jornal New York Post , Schimpf tentava fazer com que um tubarão passasse pela isca que ele havia montado, quando tudo ficou escuro e o mergulhador percebeu que estava sendo agarrado por uma baleia . "Eu podia sentir a pressão no meu quadril, não há tempo para medo em uma situação como essa, você tem que usar o seu instinto", comentou.

Enquanto isso, os colegas do cinegrafista resolveram capturar o momento em que o mergulhador ficou preso nas mandíbulas dos mamíferos marinhos. "Quando Rainer se dirigiu para a bola de isca, de repente a água se agitou amplamente, e eu sabia com certeza que algo estava prestes a acontecer, então mantive o foco da minha câmera nele com firmeza", relatou o fotógrafo Heinz Toperczer à imprensa da África da Sul . O fotógrafo ainda contou que um “spray branco” saiu da água e, em seguida, foi possível ver o mamífero.

Leia também:Tempestade causa 'chuva' de peixes vivos e cobre estradas com animais, em Malta

A baleia em questão era uma baleia-de-bryde, que pode chegar a 15 metros de comprimento e se alimenta, principalmente, de crustáceos e pequenos peixes. Devido a isso, o acontecimento teria sido somente um acidente, já que a baleia estaria indo atrás de uma presa e não conseguiu enxergar o cinegrafista, de acordo com Toperczer, que ainda chamou os mamíferos de “gigantes gentis”.

Quanto a Schimpf, o mergulhador foi solto pela baleia, escapando ileso do ‘banquete’ e voltando, logo em seguida, a ir atrás dos tubarões. "Foi uma experiência interessante, mas certamente nada que eu queira fazer novamente", comentou o cinegrafista.

Algumas pessoas ainda aproveitaram o acontecimento para relacionar a experiência de Rainer ao conto bíblico de Jonas, o profeta do século VIII que foi engolido por uma baleia.

Leia também: Japão anuncia saída de comissão de proteção às baleias e retoma caça comercial

A baleia -de-bryde ainda é um mistério para os pesquisadores do Brasil e do mundo, devido às poucas informações disponíveis sobre os mamíferos. Presente nos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico, a espécie não realiza extensos movimentos migratórios, permanecendo, quase que o ano inteiro, em águas quentes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas