Tamanho do texto

Corpo de Shizuka Matsuki ainda não foi encontrado, mas as autoridades americanas localizaram um jacaré com evidências de ter atacado um humano

Após o desaparecimento da mulher, um jacaré foi localizado com evidências de ter atacado Shizuka Matsuki, de 47 anos
Reprodução/WPLG
Após o desaparecimento da mulher, um jacaré foi localizado com evidências de ter atacado Shizuka Matsuki, de 47 anos


Shizuka Matsuki, moradora de 47 anos do estado americano da Flórida, desapareceu na última sexta-feira (8) enquanto passeava com seus dois cachorros. Segundo informações do portal Metro , as investigações apontam que ela foi atacada e morta por um jacaré de três metros e meio na região do parque Silver Lakes Rotary Nature.

Leia também: Homem quase morre por picada de cascavel decapitada que injetou todo seu veneno

O caso teve início quando moradores da área viram Matsuki andando com seus animais de estimação e, mais tarde, notaram que os cachorros estavam sozinhos, sendo que um deles apresentava feridas e latia nas margens do lago. Assim, chamaram a polícia e descobriram que a necrópsia realizada em um jacaré , morto naquele mesmo dia, apontava indícios de que o réptil tinha atacado um ser humano.

A Comissão de Conservação da Vida Selvagem e da Pesca da Flórida declarou que a mulher pode ser identificada como vítima do animal a partir de evidências – que não foram especificadas – da necrópsia, e que agora, os oficiais responsáveis estão em busca do corpo da americana.

Amigos da mulher detalharam que ela era casada e tinha um filho de 20 anos, que mora em Nova York. Matsuki e seu marido não residiam na mesma área onde ela foi atacada , mas a vítima estava por ali porque gostava de procurar novos lugares para passear com seus animais de estimação.

Leia também: Cão 'famoso' na web por perseguir crocodilo é devorado em rio da Austrália

Ataques de jacaré são comuns na Flórida?

Por mais que casos de pessoas sendo atacadas por répteis sempre apareçam nos noticiários, eles não são tão comuns assim. A Comissão de Conservação da Vida Selvagem explicou que as chances de um morador da Flórida ser mordido por um réptil é de uma em cada 3,2 milhões de vezes, e casos fatais são ainda mais difíceis de serem documentados.

Em 69 anos, desde 1948 até o ano passado, foram registrados 401 ataques na região, sendo que 24 deles resultaram na morte da vítima. A fatalidade mais recente ocorreu em 2016, quando um menino de apenas quatro anos, brincando em um dos hotéis dos parques da Disney, foi atacado.

Leia também: Baleias e golfinhos têm dificuldade em superar a morte como humanos, diz estudo

“Em qualquer lago ou rio na Flórida você precisa estar ciente que pode haver um jacaré ”, disse Heather Porrata, que mora no estado. Por isso, as autoridades recomendam cuidado ao se aproximar de qualquer ponto aquático na região.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.