undefined
shutterstock
Autoridades locais declararam que o leão Kimba, de 22 anos de idade, não será abatido (foto meramente ilustrativa)


O mexicano Gustavo Serrano Carabajal, que trabalhava no zoológico Nicolas Bravo, em Tulancingo, foi atacado e morto pelo leão Kimba, de 22 anos, após se esquecer de prender o animal em sua jaula. De acordo com o Daily Mail , o jovem de 28 anos estava limpando o ambiente quando não fechou o portão da maneira apropriada, o que resultou na fuga do felino.

Leia também: Leopardo perdido em cidade ataca três pessoas e gera pânico; veja imagens

Carabajal morreu no último sábado (17) após ser mordido no pescoço pelo leão , e seu corpo foi mais tarde encontrado por outros funcionários. A emergência foi chamada, porém, o homem já estava morto antes de uma ambulância chegar ao zoológico, que está localizado no estado mexicano de Hidalgo.

Fernandez Perez Romero, porta-voz do governo da cidade de Tulancingo, declarou à imprensa que o animal não será abatido. Ele explicou que, agora, as autoridades estão trabalhando para reforçar quais devem ser as medidas de segurança tomadas por quem trabalha com animais em cativeiro.

Além disso, divulgou que o zoológico Nicolas Bravo acabou de passar por reformas para melhorar seus padrões de segurança. Isso incluiu mudanças nas jaulas dos felinos e a criação de uma nova cerca de perímetro. As autoridades locais estão agindo para dar suporte à família de Carabajal, que não comentou o incidente com a mídia.

Em uma postagem no Facebook, a empresa declarou que “a família do zoológico se encontra sumamente abatida porque hoje perdemos um dos nossos. Vamos sentir a sua falta, amigo. Descansa em paz, Gus”.


Ataque de tigre na China

Em um caso semelhante, um funcionário do zoológico chinês Fuzhou, identificado como Wu, foi comido vivo por um tigre que havia criado desde que era filhote . Segundo o  Daily Mail  , o incidente ocorreu enquanto o homem estava dentro de uma jaula, junto do felino, para realizar um espectáculo de exercícios e treinos ao público.

O caso aconteceu na província de Fujian, na China, e repercutiu em todo o mundo com vídeos e imagens feitos por espectadores, que assistiram aos momentos de pânico em que o tigre  atacou o treinador. Outros funcionários do zoológico tentaram conter o animal, cuja subespécie não foi confirmada, mas não conseguiram evitar a morte de Wu.

Com uma vara de metal, afastaram o grande felino e chegaram até o corpo do treinador. Técnicas de ressuscitação foram aplicadas, porém, ele já estava morto quando os paramédicos chegaram ao local do incidente.

Leia também: Pinguins-imperadores encontram câmera na Antártida e fazem 'selfie'

O felino foi criado desde que era um filhote pelo treinador Wu, e era considerado um animal domesticado  que sempre interagiu com humanos. Diferente do caso do leão, não há informações sobre o estado atual do animal.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários