Presidente dos EUA, Donald Trump
Official White House/Shealah Craighead
Presidente dos EUA, Donald Trump

A revista médica Lancet, uma das mais prestigiadas do mundo, divulgou um novo editoral pedindo uma nova liderança presidencial nos Estados Unidos.

"Os americanos devem colocar um presidente na Casa Branca em janeiro de 2021 que entenderá que a saúde pública não deve ser guiada pela política partidária", escreveram os autores.

"Dei o melhor de mim", diz Teich após pedido de demissão

A publicação condena as ações "incoerentes e incosistentes" do governo Trump em relação à capacidade dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças de combater a Covid-19.

"O CDC, a principal agência de saúde pública do país, viu seu papel ser minimizado e se tornar um consultor ineficaz e nominal na resposta para conter a propagação do vírus", diz o editorial.

Você viu?

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (sem partido), também foi alvo de um editorial da Lancet no começo de maio. A revista afirmou que "Bolsonaro é a maior ameaça ao combate à Covid-19 no Brasil".

Lancet, maior revista de saúde no mundo, sugere em editorial que Bolsonaro saia

No editorial de agora, a revista científica critica o governo Trump por deixar "um vácuo de inteligência" na China, cortando a equipe do CDC no país no momento em que a Covid-19 começou a surgir.

O governo Trump também é acusado de "punir a agência por marginalizá-la e atrapalhá-la" depois que ela não produziu testes de diagnóstico de alta qualidade no início do surto. "Isso requer uma agência nacional de saúde pública eficaz", disseram os autores do texto.

O número de mortos pela Covid-19 nos EUA ultrapassou os 85 mil, enquanto muitos estados no país decidiram reabrir comércios e relaxar medidas de contenção da transmissão do vírus.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários