Tamanho do texto

Chimpanzés resgatados em santuário do Quênia perderam a habilidade de caminhar com os pés e as mãos após ficarem presos em jaulas apertadas

Planeta

Chimpanzés arrow-options
Jenny Desmond
Após serem vítimas de maus tratos, chimpanzés estão andando igual a humanos.

Uma reportagem da BBC News mostrou uma realidade cruel de chimpanzés resgatados no Burundi. Esses animais foram capturados na selva e mantidos em cativeiros por seus donos. Segundo Timothy Mwangi, cuidador de animais em um santuário do Quênia, os primatas vivam em casas de família que os tinham como bichos de estimação.

Leia também: Marcos Pontes utilizou verba da pasta para levar assessora aos EUA em sua folga

Mas, conforme eles cresceram e ficaram agressivos , foram aprisionados em jaulas apertadas, nas quais conseguiam ficar apenas sentados ou de pé , sem poder se movimentar usando as quatro patas, como é normal para essa espécie.

De acordo com Mwangi, mesmo agora, que estão livres, eles se lembram de quando estavam presos e continuam andando sobre as duas patas traseiras, como humanos , o que não é normal para eles.

Leia também: Cientistas criam lente de contato que dá zoom

Um dos chimpanzés resgatados é Max. Mwangi conta que, quando Max vê alguém com roupas camufladas, ele fica muito agressivo, pois se lembra de como seus pais foram mortos por caçadores.

O chimpanzé é uma espécie considerada em perigo, segundo a Organização das Nações Unidas. O tráfico ilegal na África é uma grande ameaça à sobrevivência destes animais. Existem cerca de 800 chimpanzés resgatados que vivem em santuários pelo continente africano.

Timothy Mwangi trabalha há 18 anos com preservação e diz que cuidar dos chimpanzés é sua tarefa favorita. “Nunca me canso deles, pois estão sempre fazendo alguma coisa diferente, e porque são muito parecidos com os seres humanos. Aprendo muito com eles, diz.