Tamanho do texto

Empresa deu início à construção da constelação Starlink com o lançamento de 60 satélites; objetivo é oferecer cobertura de internet em todo o planeta

sa´telites
Reprodução/Youtube
Flagrante foi feito após o lançamento dos primeiros 60 satélites da constelação Starlink, da SpaceX

Após o lançamento dos primeiros 60 satélites da constelação Starlink, da SpaceX, o astrônomo Marco Langbroek, baseado em Leiden, na Holanda, capturou imagens fantásticas dos objetos cruzando o céu. O vídeo foi filmado no dia 24, às 19h55, pelo horário de Brasília, cerca de 20 horas após o foguete Falcon 9 decolar de uma base da Força Aérea americana em Cabo Canaveral, na Flórida. 

Leia também: Queda de energia em Estação Espacial Internacional atrasa lançamento de foguete

Em texto publicado em seu blog, Langbroek explica que os dados sobre a órbita dos satélites ainda não estavam disponíveis, mas foi possível fazer um cálculo aproximado usando informações sobre a altitude e a inclinação orbital (ângulo em relação ao equador) divulgadas pela companhia.

“Minha busca não foi tão ruim: muito próxima do local da passagem, apenas três minutos antes das minhas previsões”, escreveu Langbroek. “Começou com dois objetos piscando, com luz fraca, se movendo no campo de visão. Então, alguns segundos depois, meu queixo caiu quando o ‘trem’ entrou no campo de visão. Eu não conseguia parar de gritar."

Segundo o astrônomo, com o passar do tempo não será mais possível observar os satélites passando em formação, pois eles já estão usando pequenos foguetes para se posicionarem corretamente. Ao todo, Langbroek conseguiu contar 56 satélites, com um bloco com dezenas deles concentrados e outros mais espaçados.

Leia também: Vídeo flagra momento em que meteoro cai do céu e intriga moradores com luz azul

As imagens foram captadas com uma câmera de vigilância WATEC 902H, equipada com uma lente Canon FD 1.8/50 mm. Apesar de maravilhado com o feito, Langbroek está preocupado com o futuro. Neste primeiro lançamento, foram apenas 60 satélites, mas os planos da SpaceX incluem 12 mil deles, todos em órbita baixa para reduzir a latência das conexões com a internet.

"Eles eram mais brilhantes do que eu imaginava", afirmou o astrônomo, ao site Space.com . "Eu me preocupo um pouco sobre o que isso fará com o céu noturno quando existirem milhares deles. Eu me pergunto se a SpaceX percebeu quão brilhantes eles são. É claro que eles ainda vão manobrar cerca de 100 quilômetros para cima, mas ainda assim são brilhantes."

Leia também: Sonda da Nasa capta terremoto no solo de Marte pela primeira vez

O projeto Starlink prevê o lançamento de 12 mil satélites para a distribuição de sinal de internet para todo o planeta. Por comparação, hoje existem cerca de 2 mil satélites em órbita. O número é elevado porque os satélites — cada um pesando 227 quilos — serão distribuídos em órbitas baixas, entre 340 e 1.140 quilômetros de altitude.