Tamanho do texto

Neste domingo (16), o cometa 46P/Wirtanen passou próximo à Terra e teve sua passagem registrada pela Nasa; o cometa foi o mais brilhante em 20 anos

Cometa do Natal é um dos mais próximos a passar pela Terra e o mais brilhante em 20 anos
Reprodução/ Nasa
Cometa do Natal é um dos mais próximos a passar pela Terra e o mais brilhante em 20 anos

Em comemoração prévia ao período natalino, o ‘cometa do Natal’ passou pela Terra neste domingo (16), e foi registrado pela Nasa. Chamado 46P/Wirtanen, o cometa passou a uma distância de 11,4 milhões de quilômetros da Terra – 30 vezes a distância da Lua. Apesar de parecer longe, o cometa pôde ser visto a olho nu.

Leia também: Imagens de missão em Júpiter revelam tempestades polares gigantes no planeta

A cada cinco anos e meio, o cometa 46P completa sua órbita, passando longe da Terra, na maioria das vezes. Mas isso não foi o que aconteceu neste ano. Esse foi um dos cometas a passar mais próximo do nosso planeta em 70 anos e a décima maior aproximação em toda a era moderna.

Além de fazer sua trajetória próxima à  Terra , o 'cometa natalino' também foi o mais brilhante em 20 anos e emitiu uma cor verde – comum em cometas como o Lovejoy e o Machhol – em decorrência da sua coma, nome dado à nuvem brilhante de gás e poeira que envolve o cometa. Suas composições de cianogênio e carbono diatômico brilham na cor verde quando ionizada pela luz solar.

Leia também: Pela primeira vez, sonda da Nasa capta som do vento em Marte; ouça como é

De acordo com Paul Chodas, gerente do Centro de Estudos de Objetos da Terra no Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa em Pasadena, na Califórnia, esse foi um evento raro que pôde fornecer aos astrônomos a “oportunidade importante de estudar um cometa de perto com telescópios terrestres, tanto ópticos quanto de radar”.

O 46P já costumava ser visível em telescópios amadores maiores, mas dessa vez, o brilho e a aproximação foram significativos a ponto de não ser necessário ferramenta alguma para sua observação. Durante a passagem, o cometa esteve localizado na constelação de Touro, perto das Plêiades.

Uma campanha, liderada pela Universidade de Maryland e com participação mundial das comunidades astronômicas, esteve em andamento para a observação do cometa considerado “hiperativo”. Segundo os especialistas, o núcleo, relativamente pequeno, faz com que o corpo emita mais água do que o esperado.

Leia também: Última chuva de 'estrelas cadentes' do ano pode ser vista a olho nu; saiba como

Descoberto em 1948 pelo astrônomo Carl Wirtanen, o 46P/Wirtanen tem uma largura de 1,1 quilômetro e sua órbita de cinco anos e meio é considerada rápida para um cometa ,  já que os de período longo costumam completar suas órbitas em 200 anos ou mais.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.