Tamanho do texto

Pesquisadores descobriram que dinossauro do Triássico Superior possuía ligamentos mais 'travados', e que voo era mais parecido ao dos pássaros

Estudo apontou que pterossauros não voavam igual a morcegos, afastando seus membros traseiros
Creative Commons
Estudo apontou que pterossauros não voavam igual a morcegos, afastando seus membros traseiros

As animações e superproduções de cinema sobre o período jurássico de Hollywood podem estar equivocadas – pelo menos em relação aos pterossauros. Segundo um novo estudo da Universidade Brown, nos Estados Unidos, ao contrário do que o "Jurassic Park" ilustra, o voo desses dinossauros não seria semelhante ao dos morcegos. 

Leia também: Carcaça apelidada de 'alien dinossauro' aparece em praia e gera curiosidade

Isso porque, de acordo com o estudo, ao observar os tecidos dos pterossauros , chega-se a conclusão de que esses incríveis animais apresentavam limitações em suas articulações, que impediriam com que os quadris se posicionassem como os dos morcegos, aos quais são constantemente comparados.

"Estamos tentando entender o voo do pterossauro e, finalmente, comprovar que seu quadril não se movia como dos mamíferos. Além disso, desejamos que, a partir da nossa pesquisa, outros estudos consigam alcançar um caminho mais fiel acerca de como esses dinossauros voavam, contribuindo também para informações mais concretas sobre a evolução desses gigantes do Triássico Superior”, explica a doutoranda da Universidade Brown e uma das envolvidas na pesquisa, Armita Manafzadeh.

Pterossauros se assemelham mais aos pássaros

Manafzadeh diz que, por causa das articulações mais ‘travadas’ que impossibilitam o pterossauro a ter uma postura como a do morcego, a equipe acredita que o animal extinto se assemelha a um pássaro.

Leia também: UE está indecisa sobre saída de Reino Unido do sistema de navegação por satélite

A suposição cresceu ainda mais depois de um experimento em que os pesquisadores cortaram os músculos localizados ao redor das articulações do quadril de uma codorna morta e, depois da dissecação e de imagens de raio-X, mapearam os ligamentos e sua capacidade de expansão. 

"Analisando os tecidos, fomos apresentados a uma visão completa. A estrutura desse dinossauro é diferente, não se pode estudar somente os ossos. É como estar diante de uma galinha de mercearia”, ilustra Armita.

Leia também: Pescador encontra sacos plásticos em estômago de tubarão e faz alerta na web

Ela ressaltou que os pterossauros tinham muitas limitações na hora de voar, e que as comparações com os morcegos se basearam somente em sua aparência física, já que ambos possuem asas formadas por uma grande camada de pele que é sustentada por quatro ossos estruturantes. “Para voar como o mamífero, o dinossauro precisaria que seu ligamento esticasse cerca de 63%, o que não ocorria. Essa é uma diferença enorme que precisa ser levada em conta, e que muitos ignoram”, concluiu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.