Tamanho do texto

Conhecida só por seu nome durante séculos, Ucetia foi encontrada em uma zona de obras; arqueólogos encontraram complexo piso feito de mosaicos

Arqueólogos encontraram mosaicos elaborados e bem conservados em cidade misteriosa do Império Romano
Divulgação/Inrap
Arqueólogos encontraram mosaicos elaborados e bem conservados em cidade misteriosa do Império Romano

Arqueólogos encontraram uma misteriosa cidade do Império Romano que estava escondida no subterrâneo da comuna de Uzès, no sul da França. Em uma zona de construção, foi descoberto um piso coberto por mosaicos elaborados, que provavelmente eram parte de uma grande edificação da antiga civilização.

Leia também: Altura dos europeus é herança genética de "caçadores de mamute", diz estudo

Além dos desenhos, foi descoberto um complexo de construções, incluindo uma padaria antiga, dentro dos muros do que se acredita ser Ucetia, uma cidade do Império Romano que durante muitos séculos foi conhecida apenas por seu nome.

Pesquisadores ficaram sabendo da existência de Ucetia quando encontraram seu nome inscrito em uma pedra, mas não havia evidência de sua existência até agora. Os arqueólogos trabalham na escavação de um sítio de quatro mil metros quadrados onde deve ter sido construído um internato.

Equipe de arqueologia continuará a escavar e restaurar a cidade Romana pelos próximos quatro meses
Divulgação/Inrap
Equipe de arqueologia continuará a escavar e restaurar a cidade Romana pelos próximos quatro meses

“Antes do nosso trabalho, sabíamos que havia existido uma cidade romana chamada Ucetia só porque o nome foi mencionado em stela [uma pedra cheia de inscrições] em Nimes, junto ao nomes de outras 11 na região” disse o responsável científico pela escavação, Philippe Cayn, do Instituto Nacional Francês para Pesquisa Arqueológica Preventiva (Inrap) ao IBTimes.

A equipe de arqueologia encontrou um assentamento que acreditam ter sido ocupado do século I a.C. ao VII d.C. e também descobriu estruturas que parecem ser da Idade Média. Eles escavaram uma grande parede e relíquias de construções que provavelmente pertenciam a Ucetia.

Leia também: Cientistas descobrem que casal petrificado em Pompeia é formado por homens

A complexa rede de construções descobertas pelos especialistas sugere que o sítio de escavação era o eixo central da cidade perdida. Mas os cientistas ficaram mais impressionados pelos vários mosaicos, que retratam animais selvagens em detalhes.

Os mosaicos misturam desenhos geométricos clássicos com desenhos detalhados de animais selvagens
Divulgação/Inrap
Os mosaicos misturam desenhos geométricos clássicos com desenhos detalhados de animais selvagens

O espaço de 250 metros quadrados onde as obras de arte foram encontradas costuma ser sustentado por enormes pilastras e provavelmente foi uma das primeiras estruturas construídas na cidade.

“Esse mosaico é muito impressionante por causa de seu grande tamanho, seu bom estado de conservação e sua temática, que combina formas geométricas clássicas com animais”, disse Cayn. “Esse tipo de piso de mosaico elaborado costuma ser encontrado no mundo Romano entre o primeiro e o segundo séculos, mas esse é de 200 anos antes disso, o que é surpreendente”.

Ainda não está claro, entretanto, qual era a função da construção ornamentada. De acordo com Cayn, os pilares indicam que a estrutura pode ter sido um espaço público, mas o supervisor também pensa que o piso elaborado poderia ser parte de um lar luxuoso.

Leia também: Elas no comando: antropólogos descobrem dinastia matriarcal no sudoeste dos EUA

“Poucas pessoas teriam sido capazes de viver em uma casa tão grande, mas é possível que o dono fosse bem rico. Ele provavelmente os colocaria em uma sala de recepção, para impressionar visitantes e mostrar o tamanho de sua riqueza”, especulou Cayn. As escavações da cidade do Império Romano terão continuidade até agosto.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.