Da Cunha tem 3,7 milhões de inscritos em seu canal do YouTube
Reprodução
Da Cunha tem 3,7 milhões de inscritos em seu canal do YouTube

O Conselho da Polícia Civil de São Paulo aprovou na última semana a demissão do delegado Carlos Alberto da Cunha, conhecido como Da Cunha, por conta de ter forjado a prisão de um chefe de uma facção criminosa. O processo administrativo foi encaminhado à Secretaria da Segurança Pública e seguirá para o governador do estado, Rodrigo Garcia (PSDB), para decidir sobre a exoneração de Da Cunha do cargo.

A informação foi divulgada pela Folha. Segundo a publicação, ele ainda pode se tornar inelegível por conta da Lei da Ficha Limpa. Da Cunha é candidato a deputado federal por São Paulo, pelo MDB. No momento, o delegado responde a mais cinco procedimentos.

O delegado conta com 3,7 milhões de inscritos em seu canal no YouTube. Com a fama adquirida por meio dos vídeos, nos quais registra parte do seu cotidiano como delegado, ele decidiu disputar as eleições deste ano.

Os registros, no entanto, não tinham a autorização dos superiores, segundo a polícia. Entre os vídeos mais vistos do canal, com mais de 30 milhões de visualizações somadas, está o que registra a prisão de “Jagunço do Savoy”, suposto chefe do PCC.

Ainda segundo a Folha, esta prisão seria o alvo principal da decisão do Conselho, que atende um relatório feito pela Corregedoria do estado. Procurado pelo jornal, o policial ainda não se manifestou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários