Criança teve pernas prensadas por carro alegórico e é internada em estado grave
Reprodução Twitter
Criança teve pernas prensadas por carro alegórico e é internada em estado grave

Nenhuma das agremiações que desfilaram na Marquês de Sapucaí, na noite desta quarta-feira (20), estava com os carros alegóricos regularizados pelo Corpo de Bombeiros. Das escolas que vão desfilar nesta quinta (21), pela Série Ouro, apenas quatro entraram com pedido de regularização dos carros. Após o fim da passagem da Em Cima da Hora, a menina Raquel Antunes, 11 anos, foi imprensada por um dos carros e precisou amputar uma das pernas.

Em contato com O DIA, a corporação informou que um oficio foi enviado no dia 12 de abril para a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) para avisar que nenhuma escola de samba da Série Ouro tinha protocolado o requerimento de regularização na Diretoria Geral de Diversões Públicas (DGDP). Além das escolas que desfilam na Marquês de Sapucaí, as escolas dos grupos B, C e D, cujo cortejo acontece na Avenida Intendente Magalhães, também não protocolaram a regularização dos carros alegóricos.

Já conhece o canal do Último Segundo no Telegram ? Entre e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. 

Quando não há a vistoria do Corpo de Bombeiros, cabe a liberação do desfile à Liga RJ e à Liesa. Ao permitirem a entrada dos veículos no desfile, as organizações assumem junto com as escolas os riscos de possíveis acidentes.

Nesta quinta-feira (21), o Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) disse que as escolas de sambas da Série Ouro, que desfilaram na noite desta quarta-feira, no Sambódromo, descumpriram normas de segurança determinadas previamente pela Justiça. De acordo com a pasta, no dia 21 de março, foi enviada uma recomendação para os organizadores do desfile que aponta a necessidade de segurança no momento da concentração e dispersão dos carros alegóricos.

"Providenciar seguranças aos carros alegóricos para evitar que crianças e adolescentes se coloquem em riscos, especialmente, nos momentos de concentração e dispersão das escolas de samba", diz um trecho do documento.

Leia Também

O MPRJ relatou ainda que vai tomar providências na 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Infância e da Juventude da capital pelo descumprimento das determinações por parte dos realizadores do evento.

Raquel Antunes da Silva, de 11 anos, foi ferida gravemente em um acidente com um carro alegórico da escola de samba Em Cima da Hora. A menina foi submetida a uma cirurgia no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro do Rio, nesta quinta-feira, e os médicos tiveram que amputar uma de suas pernas. O estado de saúde dela é considerado grave.

Aline da Mota, pastora e amiga da família, disse que Raquel subiu no carro alegórico enquanto a mãe estava lanchando em uma praça no Estácio, próximo a uma das saídas do Sambódromo. O veículo passou em um trecho estreito e as pernas da menina foram prensadas contra um poste.

A SMS informou que a menina chegou a receber os primeiros socorros no posto médico montado na Marquês de Sapucaí e, em seguida, transferida para o hospital.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários