Greve de Rodoviários no Rio de Janeiro
Tânia Rêgo/Agência Brasil
Greve de Rodoviários no Rio de Janeiro


Os rodoviários do  Rio de Janeiro  fizeram greve na madrugada e início da manhã de hoje (29). De acordo com o sindicato da categoria, o sistema convencional foi parcialmente afetado e o BRT, que tem ônibus articulados com corredores exclusivos, chegou a ser totalmente paralisado.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Sebastião José, a entidade ainda não foi notificada pela justiça sobre a decisão liminar que impede a greve, mas decidiu suspender o movimento diante da aplicação de multa de R$ 200 mil diários ao sindicato em caso de descumprimento da decisão.

“As empresas estão usando a liminar como forma de impor o retorno dos profissionais, porém o sindicato ainda não foi comunicado oficialmente da liminar. Assim que isso ocorrer, iremos convocar uma assembleia para comunicar a categoria a decisão judicial. Isso já era esperado por parte das empresas, que trata a categoria como gado e sem nenhuma sensibilidade em relação as necessidades da categoria.”

Ele explica que a categoria está com os salários congelados há três anos e as negociações com as empresas não avançam. Os rodoviários reivindicam a recomposição salarial pela inflação acumulada desde 2019.

“Desde setembro nós tentamos a negociação de recomposição do piso salarial da categoria e da cesta básica, sem nenhuma proposta encaminhada pelos empregadores. Então os trabalhadores não aguentam mais trabalhar em situações precárias e há três anos sem reajuste salarial. A greve está decretada e nós pedimos a compreensão da população para essa luta dos trabalhadores. População essa que também tem sido prejudicada nos últimos tempos com o sucateamento e a falência do transporte público”.


A assembleia marcada para 14h, em Rocha Miranda, foi suspensa, diante da liminar.

“O Sintrucad-RIO espera reverter essa decisão com a mesma rapidez em que os patrões obtiveram a liminar e requererá novamente que o Tribunal aplique a lei e seus precedentes concedendo as reinvindicações básicas aos rodoviários, enquanto isso conclama a categoria a manterem-se mobilizados e atentos a informações do sindicato”, diz o comunicado da entidade.

Prefeitura
De acordo com a Mobi-Rio, empresa pública que opera o BRT, mesmo com a decisão liminar que suspende a greve dos rodoviários, os motoristas não se apresentaram ao trabalho no início do turno.

A prefeitura montou um plano de contingência para reduzir os transtornos causados pela greve e informou que os serviços de ônibus convencionais estão operando parcialmente desde a madrugada e estão sendo regularizados ao longo da manhã de hoje.

A operação dos modais foi reforçada, com a extensão do horário de pico do veículo leve sobre trilhos (VLT), que circula no centro da cidade, garantindo 7 minutos de intervalo nas três linhas.

Leia Também

O metrô teve oferta extra nos horários de entrepico e foram colocados trens reservas da Supervia no Ramal Santa Cruz e Gramacho, que serão acionados caso a demanda de passageiros aumente.

Leia Também

As barcas maiores estão sendo utilizadas na ligação Cocotá (Ilha do Governador) - Praça XV (Centro). Os horários das linhas foram retomados de acordo com os intervalos pré-pandemia.

Segundo a prefeitura, as vans e os chamados “cabritinhos”, que circulam em comunidades, estão autorizados a desviar o itinerário para atender estações de trem, metrô e BRT.

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio (COR) informou que o município entrou em Estágio de Mobilização à 0h devido ao anúncio de greve dos rodoviários.

Empresas
Em nota, o Rio Ônibus, sindicato que reúne as empresas, repudiou o movimento grevista e destacou a liminar judicial concedida no fim da noite de ontem.

“A decisão da Justiça estipula multa diária de R$ 200 mil ao Sindicato dos Rodoviários em caso de descumprimento da decisão, assinada pela desembargadora Edith Maria Correa Tourinho, presidente do Tribunal Regional do Trabalho da Primeira Região”, destacou a entidade.

O porta-voz do Rio Ônibus, Paulo Valente, afirmou que a greve não vai resolver os problemas da categoria, além de agravar a atual crise de mobilidade na cidade.

“O Rio Ônibus pede que os rodoviários retornem imediatamente ao trabalho para atender a população carioca. Nós sabemos dos problemas que a categoria atravessa estamos em tratativas com a prefeitura na busca de soluções para resolver os problemas das empresas, dos rodoviários, da própria prefeitura e, principalmente, da população do Rio de Janeiro, que merece um transporte melhor”.

De acordo com o sindicato patronal, mesmo em meio às dificuldades financeiras, com o congelamento das tarifas e o aumento do diesel, as empresas têm priorizado o pagamento dos rodoviários e a manutenção de seus empregos.

“O reajuste de salários depende de ações externas, já que três dos quatro consórcios se encontram em recuperação judicial”, alega o Rio Ônibus.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários