A assessora jurídica Mariana Cardim de Lima com o filho único, João Gabriel Cardim Guimarães
Reprodução
A assessora jurídica Mariana Cardim de Lima com o filho único, João Gabriel Cardim Guimarães

Mãe do estudante João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos — atropelado pelo modelo Bruno Fernandes Moreira Krupp, de 25  —, a assessora jurídica Mariana Cardim de Lima acompanhava o filho único no momento do acidente, na noite do último sábado, dia 30. A família havia participado da comemoração de um aniversário em um salão de festas próximo e resolveu atravessar para ir até a Praia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. O caso é investigado como lesão corporal culposa provocada por atropelamento e falta de habilitação e proibição de dirigir veículo automotor, mas o registro da 16a DP (Barra da Tijuca) deverá ser aditado para homicídio, uma vez que a vítima morreu após dar entrada no Hospital Municipal Lourenço Jorge.

"Minha irmã está completamente devastada, ainda em estado de choque, não consegue parar de chorar. Eles quiseram colocar o pé na areia antes de chamar o carro de aplicativo para voltar para casa. Quando estavam a um passo do paralelepípedo da calçada, a moto pegou ele. A pancada foi tão forte que arrancou a perna do meu sobrinho. Ao ser levado para o hospital, ele estava consciente, mas acabou não resistindo aos ferimentos. A família do modelo esteve com a gente e prestou solidariedade. Queremos justiça, mas precisamos de paz nesse momento", contou, em entrevista ao Extra, a gestora comercial Débora Cardim, tia de João Gabriel.

Câmeras de segurança de um quiosque na altura do Posto 3 registraram o momento em que o modelo, que não era habilitado, passa em alta velocidade em uma moto sem placas. As imagens mostram frequentadores do estabelecimento se assustando com a batida. De acordo com o Corpo de Bombeiros, profissionais do quartel da Barra foram acionados às 22h55, assim como policiais militares do 31o BPM (Recreio dos Bandeirantes). Ao chegarem no local, em frente ao número 2.016 da Avenida Lúcio Costa, constataram que João Gabriel teve a perna esquerda amputada em consequência do acidente. Já Bruno Krupp sofreu escoriações e ambos foram encaminhados, em ambulâncias, para o Lourenço Jorge.

Segundo o depoimento prestado na 16a DP por um dos PMs, o modelo não possui Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e o local do acidente não foi preservado. A moto que ele dirigia foi apreendida e levada a delegacia. A mãe da vítima, que prestou assistência do filho na unidade de saúde, foi arrolada como testemunha do caso.

Horas após o acidente, o delegado Paulo Roberto Mendes Junior, de plantão na 16a DP, determinou, com a morte de João Gabriel, a remoção do seu cadáver do hospital para o Instituto Médico-Legal (IML), para a realização do exame da necropsia. O corpo do estudante foi sepultado nesta segunda-feira, no Cemitério de Irajá, na Zona Norte da cidade, em uma cerimônia que reuniu mais de 100 pessoas, entre as quais colegas de escola e professores.

Ao Extra, o advogado Willian Pena, que representa Bruno Fernandes Moreira Krupp, admitiu que o modelo estava acima da velocidade permitida na Avenida Lúcio Costa, mas afirmou que a vítima “subitamente” surgiu na via, atravessando fora da faixa de pedestres:

"Ele disse que, segundos após dar uma arrancada com a moto, houve o choque. Mas o velocímetro ainda será avaliado pela perícia. Além disso, confirmou ter tirado a Carteira Nacional de Habilitação há cerca de 15 dias e que o veículo estava emplacado até o momento do acidente, quando a placa caiu. É importante frisar também que os pais dele estão dando todo apoio a família da vítima, com suporte emocional e financeiro."

A Polícia Civil informou que o caso foi registrado na 16ª DP (Barra da Tijuca) inicialmente como lesão corporal na direção de veículo automotor, mas, com a morte da vítima, será investigado como homicídio culposo na direção de veículo automotor . “A perícia foi realizada no local e a motocicleta foi apreendida. O condutor da moto está hospitalizado e será ouvido assim que receber alta médica. De acordo com os agentes, ele não tem habilitação. As investigações estão em andamento para esclarecimento de todos os fatos”, diz o comunicado.

Já a Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que, na noite de sábado (30/07), equipe do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) foi acionada para verificar uma ocorrência de acidente de trânsito com vítima na Avenida Lúcio Costa, na Barra da Tijuca. “No local, os policiais foram informados que um homem foi atropelado por uma motocicleta e socorrido ao Hospital Municipal Lourenço Jorge. O condutor foi socorrido para a mesma unidade de saúde. A ocorrência foi encaminhada à 16ª DP”, disse, em nota.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que o João Gabriel deu entrada, no final da noite de sábado, no Hospital Lourenço Jorge, vítima de um acidente de trânsito. "O paciente foi levado para o Centro Cirúrgico, onde faleceu pouco tempo depois", afirmou a pasta, também em nota. Já o modelo recebeu alta no dia seguinte do acidente.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários