Bárbara, de 10 anos, tentou correr dos algozes antes de ser raptada e morta
Reprodução
Bárbara, de 10 anos, tentou correr dos algozes antes de ser raptada e morta

Dois dias após o desaparecimento, a menina Bárbara Vitória, de apenas 10 anos, foi encontrada morta, na manhã desta terça-feira (2), em local próximo a um campo de futebol, no bairro Pedra Branca, em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de  Belo Horizonte (BH). 

A criança sumiu após ter saído de casa na tarde deste domingo (31) para comprar pão numa padaria, que serviria para o café da família. O corpo foi encontrado por uma adolescente que auxiliava nas buscas; ela e um grupo que jogava bola no campinho acionaram imediatamente a Polícia Militar.

De acordo com informações do g1, o corpo de Bárbara foi encontrado com sinais de violência: ela estava amordaçada e vestindo apenas a camisa do Atlético-MG, que usava no dia do crime, o que levanta suspeita de que tenha havido violência sexual, algo que será analisado por peritos.

Após o corpo da menina ter sido encontrado, o governador do Estado de Minas Gerais, Romeu Zema, prestou solidariedade nas redes:

"Todos nós mineiros estamos consternados com a morte da menina Bárbara Vitória, em Ribeirão das Neves. A competente Polícia Civil de Minas terá todo apoio necessário pra solucionar mais este caso, encontrar e punir quem cometeu essa atrocidade. Minha solidariedade à família pela dor irreparável", escreveu Zema.

O Atlético-MG, clube de coração de Bárbara, e do qual ela vestia a camisa quando foi atacada, também reagiu ao desfecho trágico do caso.

Suspeitos foram flagrados por câmeras

Por enquanto, a polícia trabalha com a possibilidade de que dois homens cometeram o crime. Eles foram flagrados por câmeras de segurança no curto trajeto, de poucos metros, entre a casa da família, a padaria e o matagal ao lado do campo de futebol onde ela foi encontrada. 

Nesta segunda (1), um dos suspeitos chegou a ser detido, mas acabou sendo liberado por falta de provas. Na casa dele, a polícia encontrou uma sacola de pão semelhante à comprada por Bárbara. Ele negou o crime, disse desconhecer a criança e também afirmou que não era ele nas imagens. 

No boletim de ocorrência, no entanto, há o curioso relato de que, na frente dos militares, o próprio filho do suspeito teria dito: "Amo o senhor, pai, mas não posso negar que no vídeo é o senhor".


As imagens são dramáticas e mostram o desespero da criança antes de ser raptada. Às 17h46, Bárbara é captada pela câmera da padaria pagando pelos pães, guardando o troco e saindo em seguida, despedindo-se da atendente. 

Às 18h23 ela é vista correndo pelas ruas do bairro, claramente fugindo de alguém. Um homem de camisa vermelha e boné e outro de camisa preta aparecem em seguida correndo na mesma direção que ela.

Não demorou para que dezenas de moradores se aglomerassem nos arredores da área onde o corpo foi encontrado nesta terça-feira. Após a perícia, quando o veículo da Defesa Civil recolheu a menina numa maca, as pessoas, em tom de revolta, fizeram coro com pedidos de justiça pela sua morte.

A reportagem questionou a Polícia Civil e a Secretaria de Justiça e Segurança Pública de MG sobre possíveis novos desdobramentos do caso com a descoberta do corpo, mas ainda não obteve resposta.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários