Lula em lançamento de livro sobre cartas enviadas durante seu período na prisão
Reprodução/TVPT - 31.05.2022
Lula em lançamento de livro sobre cartas enviadas durante seu período na prisão

Em Porto Alegre, Lula lembrou das disputas que ele e a ex-presidente Dilma Rousseff travaram com o senador José Serra , com o ex-presidente Fernando Henrique e com o ex-governador Geraldo Alckmin, que se filiou ao PSB e será seu vice na eleição deste ano.

“Já disse para o Alckmin: como este país era feliz quando a polarização era entre o PT e o PSDB. Como era feliz este país quando a polarização era entre a Dilma e o Alckmin, a Dilma e o Serra, eu e o Serra, eu e Alckmin, eu e o Fernando Henrique Cardoso”, discursou Lula, durante um ato sobre educação, em Porto Alegre.

Alckmin também estava presente e sentou-se ao lado de Dilma. Lula não citou o deputado federal Aécio Neves, que disputou a eleição de 2014 contra Dilma. Aécio reagiu nesta terça-feira à fala de Lula na véspera, dizendo que o petista foi arrogante.

No discurso, Lula ainda afirmou que as disputas com os tucanos eram “civilizadas”. Nos últimos meses, o ex-presidente já havia feito afirmações semelhantes sobre os embates com os tucanos.

“A transição que nós fizemos com o Fernando Henrique Cardoso foi a mais civilizada que este país conheceu”, afirmou.

Segundo Lula, na época dos confrontos com os tucanos, “você disputava uma eleição, mas não estava em guerra”. “O seu adversário não era seu inimigo.”

Com a saída do ex-governador João Doria da disputa presidencial, os petistas alimentam a expectativa de atrair a adesão de tucanos para a pré-candidatura de Lula. O ex-senador Aloysio Nunes já havia declarado apoio ao ex-presidente, mesmo antes de Doria abrir mão de concorrer. À colunista Bela Megale, ele disse que a fala de Lula sobre o PSDB ter acabado é um erro político.


Antes do discurso de Lula nesta quarta-feira, o ex-ministro Aloizio Mercadante, que coordena a elaboração do programa de governo de Lula, elogiou a gestão de Fernando Henrique na área da educação.

Na noite de quarta-feira ao participar, no Teatro da PUC-SP, de um evento de lançamento do livro “Quero Lula”, com cartas enviadas e recebidas pelo petista quando estava preso, o ex-presidente afirmou que o PSDB acabou.

“Uma vez teve um senador do PFL que disse que era preciso "acabar com essa desgraçada do PT". O Jorge Bornhausen. O PFL acabou. Agora quem acabou foi o PSDB. E o PT continua forte, crescendo, e continua o partido que conseguiu compor a maior frente de esquerda já feita neste país.”

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários