Lula diz que volta disputar eleição por estar mais indignado do que há 22 anos atrás
Reprodução
Lula diz que volta disputar eleição por estar mais indignado do que há 22 anos atrás

O ex-presidente  Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse, nesta terça-feira (31), acreditar que o povo brasileiro tomou a consciência de que é preciso "derrotar o fascismo" para restabelecer a democracia no Brasil.

A fala foi feita durante o evento de lançamento do livro "Querido Lula - cartas do povo brasileiro", que conta com depoimentos que pessoas enviaram ao pré-candidato à presidência da República durante os 580 dias em que ele esteve preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. A publicação reúne 46 textos no total. 

“Eu nunca me senti tão bem, nunca vivi o momento que estou vivendo. Pra mim é um momento primoroso na vida pessoal, na minha relação política e é um momento primoroso na política brasileira. Porque me parece que o povo brasileiro finalmente tomou consciência que nós precisamos derrotar o fascismo e restabelecer a democracia nesse país", afirmou Lula.

No lançamento, que aconteceu no Tuca, teatro da PUC-SP, o pré-candidato do PT também destacou ter mais consiência do que tinha nos seus primeiros mandatos como chefe executivo do país.

“Primeiro, eu tô mais consciente; segundo, eu tô mais maduro; e terceiro, eu tenho a consciência de que é possível fazer mais do que eu fiz porque eu tô mais esperto do que eu era.”


O ex-presidente completou ressaltando que, quando assumiu o governo pela primeira vez, mesmo tendo feito a maior política inclusão da história do país, demorou muito para colocar em prática as ideias que tinha.

De acordo com Lula, a sua volta à disputa das eleições presidenciais se deu por ele estar mais indignado com a atual situação do país do que há 22 anos atrás.

“Eu volto a disputar uma eleição porque a minha indignação é maior do que era há 22 anos atrás. Nós temos a obrigação de ficar indignados quando passamos em viadutos de São Paulo e vemos mulheres e crianças dormindo ao relento. A gente não pode encarar isso como normal", destacou.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários